SINDSEP - SP

Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Minicípio de São Paulo

SINDICALIZE-SE

Funcionalismo

21/10/2017 - 14:10

Por que os servidores devem se mobilizar no dia 27?

Concentração em frente à Prefeitura às 13 horas

É importante contextualizar o que significa o dia 27 de outubro quando nós servidores do munícipio, estaremos mobilizados junto a todo funcionalismo do Estado. Em agosto, o Fórum do Funcionalismo da CUT SP, do qual participa o Sindsep, decidiu iniciar uma mobilização para o mês de outubro para unificar as ações contra os ataques que os serviços públicos e os servidores vêm sofrendo em todas as esferas. Constituído pelos sindicatos cutistas que representam servidores públicos nas esferas municipal, estadual e federal, com o indicativo do dia 27 de outubro como um dia estadual de mobilização e paralisação nos serviços públicos, ficou decidido pelo Fórum da CUT que as demais centrais deveriam ser convidadas a construir essas ações. E foi o que aconteceu.

Os trabalhadores, já no dia 16 de agosto, decidiram em assembleia convocada pelo Sindsep, aderir à paralisação do dia 27 contra a reforma da previdência, contra os ataques do governo Temer ao funcionalismo e aos serviços e contra os ataques de Doria à nossa Previdência e contra a continuidade da política de 0,01%.

Fizemos em setembro o convite, no Fórum das Entidades da cidade de São Paulo, para todos os sindicatos e associações do funcionalismo da Capital, insistindo na importância da unidade dos servidores nesse momento de imenso ataque vindo de todos os lados, e mais especificamente, pelo governo João Doria que pretende um pacote de desmonte da nossa previdência, além de dar sequência ao PL do Sampaprev que Haddad, encaminhou em 28 de dezembro, sorrateiramente, rompendo compromisso assumido meses antes com as entidades. Doria que já descarta até a proposta de Sampaprev para uma adesão ao SP Previ do Estado, criado pelo governo Alckmin, também cogita, segregação de massas, matando de vez o Iprem, e descontos, não mais de 11%, mas de 14% com alíquota complementar de mais 5%, ao mesmo tempo em que mantém como reajuste a lógica do 0,01% que é uma das principais responsáveis pelas dificuldades do Iprem, junto com os processos de terceirizações e privatizações e redução dos concursos públicos. Assim como Temer que quer a Reforma da Previdência e Alckmin que mandou Projeto para a Assembleia Legislativa, com aumento de 11 para 14% da alíquota e congelamento de salários para os servidores estaduais, Doria quer mandar pacotaço nas próximas semanas que significa o desmonte definitivo do funcionalismo municipal.

As entidades do fórum municipal estão aderindo ao dia 27, o que é demasiado importante para unificarmos os servidores nessa luta. E o fórum já deliberou que devemos fazer o enfrentamento com o governo Doria, construindo a concentração da mobilização às 13 horas do dia 27 em frente à Prefeitura de São Paulo. Em seguida, iremos nos juntar aos servidores de outras esferas na Paulista para ato que se inicia às 16 horas. Enquanto isso servidores do judiciário estarão se organizando na Praça João Mendes, professores do Estado se concentrarão na Praça da República e servidores da saúde do Estado no Hospital das Clínicas. Todos os municipais da cidade de São Paulo devem estar presentes. Independentemente de filiações a entidades, é hora de unidade. Só assim enfrentaremos os ataques e retrocessos em andamento na Capital, no Estado de São Paulo e no Brasil.

#JuntosSomosMaisFortes
#LutaEResistir

 

Sergio Antiqueira
Presidente do Sindsep

 

[voltar]