SINDSEP - SP

Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Minicípio de São Paulo

SINDICALIZE-SE

Outras Secretarias

23/08/2017 - 17:30

Doria doa salário de R$ 18 mil enquanto congela até R$ 250 mil de repasses para entidades sem fins lucrativos

O Prefeito João Dória Júnior dá mais um mal exemplo de gestão pública na Cidade de São Paulo: por um lado, em frente às câmeras, doa seu salário pessoal de pouco menos de R$ 18 mil para entidades sem fins lucrativos (como a AACD e o GRAACC); por outro lado congela repasses de até R$ 250 mil, para essas mesmas entidades.

Tal informação pode ser conferida no endereço eletrônico http://orcamento.sf.prefeitura.sp.gov.br/orcamento/uploads/2017/basedadosexecucao2017.ods que fornece os dados oficiais de execução orçamentária da Prefeitura do Município de São Paulo até 22 de maio de 2017.

Na linha “3737” da tabela que pode ser acessada em tal link, verifica-se que o projeto/atividade “1256” ( coluna “T”) teve congelada sua verba de R$ 50.000 (coluna “AI”) referente ao "Auxílio Financeiro para a AACD - Associação de Assistência à Criança Deficiente CNPJ: 60.979.457/0001-11 na Avenida Professor Ascendino Reis, 724, Vila Clementino, São Paulo - SP" (Coluna “U”). Já na linha “3600”, vemos que o projeto/atividade “1347” teve o congelamento de R$ 200.000 no "Incentivo ao Tratamento e Reabilitação de Crianças, Adolescentes e Adultos Portadores de Deficiência Física, Realizado pela AACD - Associação de Assistência à Criança Deficiente". Trocando em miúdos: Dória congelou, na surdina, o repasse oficial de R$ 250.000 à AACD, enquanto doou, sob a luz dos holofotes da mídia, seu primeiro salário de R$ 17.948,00 à mesma AACD . 

Na entrevista coletiva dada quando da doação, o prefeito disse que escolheu a AACD "pela história da instituição, importância e referência no âmbito do que já realizou para crianças com deficiência", disse o prefeito. Se o prefeito sente tanto respeito pelo trabalho da instituição, porque congelou o repasse de recursos com valores quase quatorze vezes maiores que a sua doação?

A história se repetiu quando da doação de segundo salário ao Grupo de Apoio ao Adolescente e a Criança com Câncer (GRAACC): olhando para a linha “3905”, vemos que o projeto/atividade “1251”, referente à "Aquisição de Equipamentos para o Grupo de Apoio ao Adolescente e a Criança com Câncer (GRAACC)" também teve sua verba de R$ 50.000 totalmente congelada. No evento de entrega do cheque simbólico (amplamente divulgado pelas mídias), o prefeito afirmou que “espero com este ato incentivar as pessoas que podem contribuir a também fazerem doações” . Por que não incentivar a ação de tal entidade com verbas oficiais que somam quase o triplo de sua doação?

Por fim, o sexto salário do prefeito foi doado para o Hospital Santa Marcelina, sendo que se pode verificar na linha “3858” que ele congelou o valor total de R$ 50.000 para “Aquisição de Equipamentos para a OSS Santa Marcelina Hospital Cidade Tiradentes”, referente ao projeto/atividade “1250” .

Além de passar a mensagem de que a política seria somente para os ricos (já que, segundo seu raciocínio, o “gestor público” não deveria ser pago pelo seu trabalho), o prefeito de São Paulo dá um péssimo exemplo de populismo caquético, sendo que sua ação representa uma clara confusão entre público e privado, em que o voluntarismo pessoal vale mais do que o planejamento participativo das ações estatais.

[voltar]