SINDSEP - SP

Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Minicípio de São Paulo

SINDICALIZE-SE

Saúde

28/09/2017 - 18:08

Sem Carro, Sem Rua

Os Agentes de Combate a Endemias das UVIS Freguesia do Ó e Casa Verde, paralisaram os serviços por 24 horas desde a manhã desse dia 28 de setembro. Com o lema "Sem Carro, Sem Rua" se dirigiram à SMS onde durante a tarde acontecia a Mesa de Negociação da Saúde.

A paralisação se deu porque na semana passada, uma equipe de Agentes da Uvis FÓ, por não ter carro acompanhando seu trabalho,  foi abordada por assaltantes armados, tendo celulares e pertences levados. Essa tem sido a realidade de praticamente todas as Uvis, desde que o Prefeito Doria deixou de renovar os contratos de locação dos carros, chegando as unidades a trabalharem com apenas 20% da frota original. Diante da indignação dos servidores da Uvis FÓ, com solidariedade dos trabalhadores da Uvis Casa Verde, o Sindicato encaminhou ao governo o pedido de solução urgente, informando a decisão dos Agentes que em assembleia decidiram que se não houvesse respostas, paralisariam. E foi o que aconteceu.

Durante o ato, uma comissão foi ouvida na mesa pela bancada do governo e pela bancada sindical. Expuseram a ocorrência e a decisão dos trabalhadores pela paralisação mediante a não resposta do governo ao documento que exigia retorno. Mas o prazo foi ignorado. Os trabalhadores informaram que a unidade se negou a registrar a ocorrência como acidente de trabalho via CAT, e assim, como o silêncio do governo significaram formas de violência institucional. A comissão deixou claro que a responsabilidade pelas epidemias que venham a ocorrer futuramente, são de única e exclusiva responsabilidade do governo que decidiu pela redução drástica das frotas e, portanto, das intervenções nas regiões da cidade.

O coordenador da bancada do governo na mesa da saúde respondeu que a CAT será imediatamente aberta e a coordenadora do RH disse que, se necessário, realizará a orientação correta para as unidades da saúde. O governo afirmou que concorda com a decisão dos trabalhadores de não sair à rua sem carro, mas que já tomou as providências para resolver a situação dos carros.

A bancada dos trabalhadores cobrou do governo o acolhimento e apoio psicológico para trabalhadores que passem por esses casos de violência.

O coordenador do governo informou ainda, que haverá uma mesa de negociação específica de endemias no dia 3 de outubro, quando o tema dos carros será pautado. Nessa data também se negociará o dia parado, sendo que, até lá, as chefias não podem apontar nada nas folhas dos servidores que paralisaram.

Foi mais uma vitória da mobilização. Mas esse foi apenas o primeiro passo.


[voltar]