Educação

17 de Fevereiro de 2022 - 16:02

Casos de racismo na educação explicitam racismo estrutural

O Sindsep vem acompanhando uma denúncia de racismo estrutural e perseguição com uma professora da região Leste. Segundo ela, teve seus vencimentos cortados por participar da Greve contra o Sampaprev no último ano a mando da diretor da unidade. Além disso, denunciou diversos casos de racismo estrutural na escola, que vão desde exclusão dela de atividades sobre discussão de questões étnico-raciais, até uma agressão de racismo estrutural envolvendo a mãe de uma aluna. O Sindsep está acompanhando o caso e prestando apoio jurídico à professora.

Em paralelo, em uma escola pública municipal na cidade de Cotia, região metropolitana de São Paulo, uma professora sofreu assédio moral e sexual após denunciar racismo na unidade. O caso, acontecido em 2019, se estende e se perpetua até hoje, com a professora sofrendo perseguições por parte do diretor e com a Secretaria de Educação não prestando o devido apoio, conforme denunciou o portal Alma Preta.

Ambos os casos explicitam o racismo estrutural na sociedade em que vivemos e que apenas a luta diária nos ajudará a derrota-lo e transformar a sociedade. O Sindsep se mantém firme contra toda forma de racismo e está acompanhando o caso envolvendo a professora da rede pública municipal de São Paulo.