Educação

11 de Novembro de 2020 - 18:11

EMEF Carlos Chagas sofre mais uma tentativa de furto; trabalhadores e população lançam abaixo-assinado pedindo providências à Prefeitura

Dias atrás o Sindsep já havia denunciado algumas maneiras pelas quais o governo Bruno Covas vem utilizando a Educação para angariar votos. Mencionamos, na matéria, 10 escolas que também estão sofrendo com atos de vandalismo e furtos, devido ao encerramento dos contratos de vigilância. O que, aliás, foi reforçado em frente ao gabinete do prefeito na manhã de ontem (10), durante protesto contra a retomada de atendimento presencial nos CEUs da Capital. Pois bem, nesta quarta (11), recebemos novas denúncias de furtos em escola da Cidade Líder, zona Leste de São Paulo.

“Infelizmente ontem (10) por volta das 22h o vizinho de frente da escola ligou avisando que duas pessoas tentaram furtar a fiação de energia elétrica da escola”, relata o trabalhador da EMEF Carlos Chagas, que pede sigilo de sua identidade. Esta não é a primeira vez que a unidade enfrenta esse tipo de problema, porém nenhuma medida da Secretaria Municipal de Educação é tomada para coibir.

A GCM foi acionada, porém informou que não poderia passar a noite na escola. Temendo que a escola ficasse às escuras, três trabalhadores da EMEF Carlos Chagas passaram a noite em frente a unidade escolar vigiando para que os fios cortados não fossem levados.

Uma das pessoas retornou para finalizar o furto, contou um dos trabalhadores, porém foi impedida pela presença de uma viatura da GCM que passava no local nesse momento. O ladrão foi detido e o trabalhador da escola passou ainda parte desta quarta no 66º DP registrando boletim de ocorrência. Segundo ele, a iluminação na unidade já foi restabelecida.

Cansados da ausência de apoio, segurança e investimento por parte da administração Covas, trabalhadores da EMEF Carlos Chagas e população estão circulando um abaixo-assinado relatando os oito furtos seguidos e solicitando providências. 

 

Clique aqui e assine o documento: https://forms.gle/9Si9gpetmYPhoQ9D9

 

“Um dos impactos diretos da redução de investimentos do governo é que, este ano, pelo menos 10 escolas da capital já sofreram furtos de bens e ações de vandalismo, pela falta de investimento em segurança. O governo Covas tem destinado os recursos públicos para empresas privadas. Contratou por mais de R$ 2,3 milhões empresa para imprimir os cadernos Trilhas de Aprendizagens da Educação Infantil (volume 2), mas não repassa recursos para escolas públicas”, frisa Maciel Nascimento, secretário dos Trabalhadores da Educação do Sindsep.

 

Escolas da capital que denunciaram a falta de vigilância