Educação

13 de Abril de 2021 - 15:04

Greve na Educação pela Vida | Contribua com o Fundo de Greve

O Sindsep lança essa semana uma campanha pelo Fundo de Greve. Em conjunto com os comandos regionais de greve da Educação, a iniciativa busca colaborar com trabalhadoras e trabalhadores da Educação que tiveram seus salários cortados por discordarem de retornar às aulas presenciais, enquanto a pandemia estiver fora de controle.
 
A greve na Educação pela Vida já superou dois meses sem que o governo do prefeito Bruno Covas e seu secretário de Educação, Fernando Padula, abram negociação. Com respostas duras e atendimento no portão, trabalhadoras e trabalhadores que já perderam amigos, colegas, familiares e adoeceram estão firmes na paralisação enquanto não houver vacinação para todas e todos, teste RT-PCR em massa, rastreamento dos casos assintomáticos e condições das escolas liberadas pelas autoridades sanitárias, como a Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa).
 
 
 
 
 
Iniciativa da campanha
 
“Covas mandou que cortem os salários de quem está em greve pela vida. Para enfrentá-lo estamos subindo o tom na denúncia da situação e precisamos garantir que ninguém que luta seja coagido a abandonar a greve. Por isso criamos essa campanha: porque precisamos do seu apoio”, anuncia o projeto disponível na plataforma Catarse.
 
Como se engajar?
 
A meta dos organizadores do Fundo de Greve é garantir um auxílio emergencial para todas as pessoas que tiveram (e/ou terão) seus salários cortados no curso da Greve e, ao mesmo tempo, fortalecer a campanha humanitária de combate à fome na cidade mais populosa do Brasil. Qualquer valor pode ser doado, mas a campanha também aceita o engajamento, por meio de apoio na divulgação em redes sociais, grupos de whatsapp e Telegram, enfim essa é uma ação coletiva e solidária de quem está lutando por muitas vidas.
 
Parte dos recursos arrecadados será transformado em ações de combate à fome. A ideia é fortalecer quem produz alimento - como o MST e a Agricultura Familiar - e fazer chegar à mesa de quem mais precisa: a população pobre, preta e periférica. Ao mesmo tempo, o objetivo é articular e organizar politicamente a classe trabalhadora junto ao movimento negro e os movimentos sociais do campo e da cidade.
 
Beneficiados
 
Qualquer trabalhador(a) da educação que teve o salário cortado, poderá ter acesso aos recursos, independentemente de ser filiado ou não ao Sindsep. 
 
Na página do Catarse acessa o vídeo da campanha, como e quanto pode doar, quem está participando, além de imagens da luta, máscaras para as redes sociais e outras informações sobre a iniciativa.