Educação

12 de Fevereiro de 2021 - 12:02

Secretaria Municipal de Educação recebe comissão em defesa dos CEUs Públicos

Coletivo em Defesa dos CEUs cobra que equipamentos que ajudam na formação de valores das comunidades menos favorecidas sejam mantidos sob administração direta.

Representantes do Sindsep e dos Centros de Educação Unificados (CEUs) de diversas regiões da cidade foram recebidos, na manhã de quinta-feira (11), pelo secretário Municipal de Educação, Fernando Padula, em audiência mediada pelo vereador paulistano Eduardo Suplicy.
 
Na audiência, Maria Lúcia Rocha,  Mathias Vieira, Priscila Lemos, Admir Benedito, Valmir Sanches, Samara Galvão e Francisca Gomes, que integram o Coletivo em Defesa dos CEUs Públicos, junto com a dirigente do Sindsep, Luba Melo, leram documento em defesa da democratização e acesso à educação, esporte, cultura e recreação para todas e todos, com gestão pública e verba pública. Os representantes também apontaram as ameaças para educação, esportes e cultura carregadas pela política de terceirização dos CEUs. Os representantes citaram exemplos de problemas e perdas que vêm sendo impostas a outras políticas públicas e serviços de saúde e educação, a partir desse mesmo modelo.
 
 
 
Luba Melo disse que o secretário de Educação parecia desconhecer na íntegra o edital de chamamento para a terceirização das 12 novas unidades do CEU que serão abertas na cidade. "Ele se comprometeu a ler a carta que entregamos e marcar uma nova audiência", disse Luba.
 
Potencialidades dos CEUs
 
Os Centros Educacionais Unificados, mais conhecidos como CEUs, são equipamentos educacionais implantados em São Paulo a partir de 2002, como o resultado da reflexão e do desenvolvimento de diversas teses sobre educação no Brasil, desde o modelo das Escolas Parque proposto pelo educador Anísio Teixeira, até chegar ao conceito atual dos Centros Educacionais Unificados (CEUs) na cidade. Desde então, os CEUs consolidaram-se como referência na educação e articulação de políticas públicas no território. Para as comunidades onde estão instalados, em sua maioria periféricas, são equipamentos promotores de lazer, cultura e esportes, além de educação.
 
Os CEUs foram construídos com o objetivo de promover uma educação à população de maneira integral, democrática, emancipatória, humanizadora e com qualidade social. "Os CEUs são, sem dúvida, uma política pública incrível, um marco histórico na política educacional da cidade de São Paulo, considerado referência nacional. Com certeza um espaço de extrema importância no combate às desigualdades sociais que atacam meninas e meninos periféricos, além de propiciarem a muitos adultos a única possibilidade de assistir a shows, espetáculos e cinema. Para a maioria da população é a porta aberta para o encontro com a literatura, a música, o desenvolvimento cultural, esportivo e esses são direitos humanos, de formação educacional, que não podem ficar sob administração de empresas, instituições. Formação de valores não é balcão de negócios. É isso que defendemos", avalia Luba Melo.
 
Neste sentido, o Sindsep reafirma o compromisso na luta em defesa dos CEUs contra o absurdo processo de privatização, que a princípio menciona os 12 novos CEUs, mas que poderá atacar os 46 CEUs públicos da cidade de São Paulo.