Funcionalismo

28 de Abril de 2022 - 09:04

Guarda Civil Metropolitana: Prefeitura exclui Sindsep e impõe reestruturação com enquadramento compulsório

O Sindsep repudia sua exclusão do processo de discussão da minuta do projeto de reestruturação da carreira dos servidores municipais da Guarda Civil Metropolitana (GCM)

Em julho de 2021, a Secretaria de Segurança Urbana constituiu uma comissão para estudar melhorias no plano de carreira da GCM. Ao tomar conhecimento o Sindsep enviou ofício requerendo a sua inclusão nesta comissão. A Prefeitura por meio da Secretaria de Segurança Urbana negou o direito de participação do Sindicato. Toda discussão ficou oculta, sem informações para a categoria. Até agora, no mês de abril de 2022 foi divulgado uma minuta de tabela de reestruturação da carreira sem negociação ou debate com o conjunto da categoria.

 

Trata-se de uma posição truculenta e autoritária sobre a valorização da carreira. O prefeito Ricardo Nunes (MDB) foi às suas redes sociais anunciar o projeto encaminhado e já publicado em Diário Oficial da Cidade.

 

De imediato o Sindsep convoca os trabalhadores da GCM na ativa, aposentados e seus familiares para mobilização na Câmara Municipal para pressionar vereadores com os seguintes questionamentos:

 

  • O Projeto prevê enquadramento compulsório para todos os atuais servidores. Introduzindo uma forma autoritária inédita de implantação sem direito a opção por parte dos trabalhadores da GCM;

 

  • O projeto enviado não melhora as condições salariais dos GCMs que já estão dentro da carreira. Na realidade piora a situação dos Guardas Civis de uma forma geral;

 

  • O único segmento que tem ganhos com a reestruturação é o início de carreira, ou seja, os futuros novos concursados. Os servidores municipais da Guarda Civil Metropolitana que estiverem entre o meio da tabela para o final não terão nenhum tipo de ganho e sim prejuízos salariais!;

 

  • Para o Sindsep é necessária uma reestruturação da tabela salarial da Guarda Civil Metropolitana que valorize a experiência da carreira dos servidores da ativa e os aposentados que dedicaram a vida à GCM;

 

  • Queremos atendimento da pauta unificada apresentada pelo conjunto de entidades que exige do governo Ricardo Nunes 46% de reposição inflacionária para todos os quadros e carreiras do funcionalismo.

 

O Sindsep denuncia essa reestruturação que desvaloriza a evolução da carreira da CGM. Nos opomos a imposição da adesão compulsória ao regime de subsídio no modelo de reestruturação proposta pela Prefeitura e vamos lutar por uma verdadeira valorização com respeito e valorização dos trabalhadores da Guarda Civil Metropolitana.

 

Nesta quinta-feira, dia 28 de abril, vamos juntos com o Fórum de Entidades do funcionalismo municipal exigir a reposição das perdas salarias com reajuste já, para todos os servidores municipais. A manifestação ocorrerá às 14 horas, em frente à Prefeitura. A campanha salarial unificada dos servidores exige a recuperação do valor dos salários com um reajuste de 46%, valor igual ao reajuste dado ao salário do Prefeito e de seu alto escalão.