Funcionalismo

11 de Novembro de 2021 - 10:11

Não tem arrego, não vão nos cansar!

Para aprovar o Sampaprev 2, o prefeito Nunes e, o presidente da Câmara, Milton Leite autorizam bombas e repressão contra os servidores públicos

Mais de 60 mil servidores públicos municipais lotaram a porta da Câmara dos Vereadores de São Paulo, na última quinta-feira (10/11), para dizer não ao PL 07/21 (Sampaprev 2). 
 
Para garantir que o projeto fosse aprovado, o governo tratou servidores com truculência, lançando tiros de balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo, deixando trabalhadores feridos como mostram as imagens divulgadas pelas redes sociais e veículos de comunicação. 
 
 
Servidora na frente da Câmara, antes da ação de truculência. | Foto: Alexandre Linares/Sindsep
 
Uma irresponsabilidade criminosa. O vereador Milton Leite, presidente da Câmara de Vereadores, não se moveu em nenhum momento para impedir que a Guarda Civil Metropolitana investisse contra os colegas do funcionalismo público municipal, com bombas e tiros de bala de borracha. Pelo contrário, manteve a sessão, que foi marcada por agressões verbais de manifestantes do MBL e provocações aos servidores públicos que estavam na galeria da Câmara.
 
No plenário, os debates foram acalorados e mais uma vez o vereador Fernando Holiday ofendeu os servidores públicos municipais, chamando-os de "bandidos". Também voltou a classificá-los de "vagabundos", para justificar a investida truculenta das forças policias para 'defender a Casa Legislativa'.
 
 
 
 
Rubinho Nunes (PSL) também chamou servidores de "bandidos", porque, segundo ele, teriam agredido GCMs. Além de debochar dos sindicatos e do trabalho que realizam, o vereador carregou para a Câmara uma claque do MBL (Movimento da Boquinha Livre) para aplaudi-lo e provocar os trabalhadores municipais na galeria que acompanhavam a sessão.
 
O PLO 07 é uma peça bizarra, que reúne uma sequência de absurdos e irregularidades. Não por acaso, o TCM apresentou relatório técnico, a pedido da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), indicando os inúmeros problemas no projeto apresentado pelo prefeito Ricardo Nunes. Ao que foi respondido pelo presidente da Câmara, Milton Leite, com ameaça de abertura de sindicância contra o técnico do TCM que apresentou o parecer. O que reforça a ação truculenta para aprovar, à toque de caixa, esse ataque às nossas aposentadorias.
 
 
 
 
 
 
 
O Sindsep não vai aceitar nem um desses ataques, seja a repressão sofrida pelos servidores, seja a violência verbal e física dentro do plenário. É necessário apurar a responsabilidade de quem determinou o ataque, feriu  servidores e agrediu os que lá estavam presentes.
 
GOVERNO NÃO COMPARECEU À AUDIÊNCIA PÚBLICA
 
Ainda ontem (10/11), horas antes da votação, a audiência pública semipresencial da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal, para debater o PLO 07/21, foi marcada pela falta de representantes do governo. O governo não se compareceu ao debate, bem como Holiday, Rubinho, Janaína; todos se escondendo do debate. Contra fatos não há argumentos!
 
A LUTA CONTINUA
 
Por volta das 23h30, o presidente da Câmara, Milton Leite, colocou em votação o PLO 07/21. A proposta obteve 36 votos favoráveis e 18 contrários. Resultando na rejeição do Sampaprev 2, mas, imediatamente, ele tratou de convocar nova sessão extraordinária, antes das 23h59, para conseguir reunir o número de votos mínimo, de 37 favoráveis e 18 contrários. Manobra para atacar a previdência dos servidores municipais. Em seguida, passaram à votação das emendas ao PLO 07, arrastando a sessão até 0h40 desta quinta (11/11).  
 
Apesar da violência para que pudessem "passar a boiada", nossa luta vai continuar. Vamos manter o enfrentamento contra esse governo nefasto e o combate pela reversão destes ataques a nossa previdência. Não vamos esquecer aqueles que confiscaram os aposentados e pensionistas. Vamos derrotar os inimigos do povo e dos servidores de São Paulo.
 
O Forum de Entidades, reunido após a votação, decidiu por encerrar a greve unificada dos servidores municipais,  iniciada em 19 de outubro, e encaminhar discussão junto ao governo sobre os dias parados.
 

PARABÉNS A TODOS QUE LUTAM. NOSSA LUTA CONTINUA!
 



Vereadores/as que votaram contra a aposentadoria dos servidores públicos municipais; em favor do Sampaprev 2:

 

NOME

PARTIDO

ADILSON AMADEU DEM
ANDRÉ SANTOS REPUBLICANOS
ATÍLIO FRANCISCO REPUBLICANOS
AURÉLIO NOMURA PSDB
CAMILO CRISTÓFARO PSB
CRIS MONTEIRO NOVO
DANIEL ANNENBERG PSDB
SIDNEY CRUZ SOLIDARIEDADE
EDIR SALES PSD
ELI CORRÊA DEM
ELY TERUEL PODEMOS
FÁBIO RIVA PSDB
FELIPE BECARI PSD
FELIPE FRANCO PODEMOS
FERNANDO HOLIDAY NOVO
GEORGE HATO MDB
FILBERTO NASCIMENTO JR. PSC
GILSON BARRETO PSDB
ISAC FELIX PL
JANAÍNA LIMA NOVO
JOÃO JORGE PSDB
MARCELO MESSIAS MDB
MARLON LUZ PATRIOTA
MILTON FERREIRA PODEMOS
MILTON LEITE DEM
MISSIONÁRIO JOSÉ OLÍMPIO DEM
PAULO FRANGE PTB
RINALDI DIGILIO PSL
ROBERTO TRÍPOLI PV
RODRIGO GOULART PSD
RUBINHO NUNES PSL
RUTE COSTA PSDB
SANDRA SANTANA PSDB
SANDRA TADEU DEM
SANSÃO PEREIRA REPUBLICANOS
TAMMY MIRANDA PL
XEXÉU TRÍPOLI PSDB