Funcionalismo

29 de Julho de 2021 - 17:07

Nível básico e médio retoma a mobilização pela restruturação de carreira que valorize todos os servidores

Prefeitura quer retomar as discussões da reestruturação das carreiras do nível básico e médio. Servidores precisam se organizar para que ela seja feita de forma a valorizar todos os servidores e os aposentados

O Sindsep realizou de forma virtual na noite da última terça-feira (27), uma plenária com os trabalhadores e trabalhadoras do nível básico e médio para discutir a reestruturação da carreira destas categorias, campanha salarial e os enfrentamentos para barrar a PEC 32

 

A plenária foi aberta pelo diretor Vlamir Lima que fez uma atualização sobre a situação da PEC 32, que é uma proposta de emenda constitucional de reforma administrativa que se aprovada vai acabar com os serviços públicos e retira direitos dos atuais Servidores e futuros no país e criar gabinetes de empregos.

 

Lima ainda destacou que o prefeito Ricardo Nunes (MDB), não tem nada de novo. Foi vereador por vários mandatos, relator do orçamento por muitos anos e não garantiu verbas para reposição salarial dos servidores. Foi base de Doria e agora como vice de Covas assumiu a Prefeitura, então não é novo, faz parte de tudo que está aí faz tempo.   

 

O presidente do Sindsep, Sérgio Antiqueira, foi o próximo a falar com os presentes, colocando em discussão a reestruturação das carreiras do nível básico e do nível médio, lembrando que a tabela apresentada pelo governo em 2019, ano em que os servidores dessa categoria realizaram uma greve, congela salários, não inclui os aposentados e não daria ganho algum para 70% da categoria.

Sérgio relatou a importância da Mesa de Negociação para se discutir as restruturações e combater a política do 0,01% que já dura longos 20 anos, deixando claro que ela tem o artigo 37 da Constituição que afirma que deve dar reajuste anual de salários. Mas não diz o índice, então por essa lei pode-se dar o reajuste de 0,01%, que não respeita os servidores e também tem o quadrimestral que ele não da. Então a discussão da lei salarial também está colocada.  

 

Com o encerramento da fala do presidente, alguns trabalhadores fizeram uma intervenção na plenária. Uma trabalhadora colocou a importância de batalhar por uma restruturação de verdade e que a nossa briga é com o governo e não entre os trabalhadores, afirmou ainda que o plano deve incorporar o abono de R$ 200,00 do nível básico e R$ 300,00 para nível médio, senão perderemos.

 

Outro servidor destacou a importância de enfrentar as terceirizações na Prefeitura, falando que para defender o serviço público é necessário barrar as terceirizações que segue avançando a cada dia que passa e exigir concursos públicos.  Foi destacado ainda a necessidade de exigir nossa pauta de reivindicações unificada pelo Fórum, o nível básico e médio tem perdas de 52,2%, e isso não podemos perder na reestruturação. Queremos uma reestruturação que conte tempo para que os admitidos, aposentados e mais antigos sejam valorizados e que dê ganhos, para novos e antigos, ativos e aposentados, ninguém pode ficar de fora (veja a pauta unificada https://sindsep-sp.org.br/noticias/funcionalismo/pauta-unificada-forum-de-entidades-proposta-para-2021-6081)

 

A diretora Djalma Maria Prado, reafirmou a importância de continuar na pressão para garantir uma reestruturação de carreira que valorize os servidores e não acumule perdas de salários, que é necessário montar uma comissão com os trabalhadores do Nível Básico e Médio para avançar nas demandas da categoria e pensar numa proposta justa para os servidores.

 

Ao final da plenária foram feitos alguns encaminhamentos e apresentado um calendário da categoria.

 

  03 de agosto: Reunião com o governo para discutir o a reestruturação da carreira do Nível Básico e Médio.

 

 04 de agosto: Reunião da comissão dos trabalhadores

 

  10 de agosto: Próxima Plenária do Nível Básico e do Nível Médio

 

PEC 32 

Entre no site Napressão e pressione os deputados para que votem contra a PEC 32. Vamos juntos lutar para que a reforma administrativa não seja aprovada.

https://napressao.org.br/