Funcionalismo

18 de Março de 2020 - 13:03

No serviço funerário trabalhadores em perigo: falta álcool em gel e orientação nos cemitérios de São Paulo

Na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB), anunciou como medida midiática, a afirmação da compra de uma tonelada de álcool em gel para os cemitérios e salas de velórios da cidade, além de treinamento para os trabalhadores sobre o vírus, mas até agora nada foi feito de concreto.

 

Há denúncias de locais que estão sem sabonete e papel toalha. Faltam servidores, falta concurso público para sepultadores e sem essas medidas necessárias para proteger estes trabalhadores, poderemos ter problemas nos enterros. É urgente a responsabilidade da Prefeitura em recompor o quadro de funcionários do Serviço Funerário já!

 

O Brasil, com a política de desmonte dos serviços públicos feita pelos governantes, dá indícios de que caminha para o mesmo destino que a Itália, com um grande número de pessoas contaminadas pelo Coronavírus.

 

O governo não está preparando adequadamente os órgãos públicos que lidam ou vão lidar com a pandemia.  Na Itália o descaso inicial por parte do governo e da população, levou ao um alto número de pessoas contaminadas e de óbitos, sobrecarregando os cemitérios de algumas cidades.

 

Não só na cidade de São Paulo, o governo age de forma ineficiente para conter o vírus, no Estado e no Brasil, há uma falta de “vontade” de tratar o caso com mais seriedade. É preciso ampliar e fortalecer os serviços públicos.

 

Bolsonaro, Doria e Covas, estão unidos no desgoverno de uma população, que segundo o IBGE já passa de 207 milhões de brasileiros.