Funcionalismo

23 de Março de 2020 - 16:03

Prefeitura de São Paulo encerra contratos e joga na rua profissionais mais vulneráveis

A cidade de São Paulo decretou estado de emergência na última semana, por conta do avanço da contaminação pelo Coronavírus. Estamos próximos de um colapso no sistema de saúde, no entanto, outra questão que nos preocupa é a situação dos trabalhadores das empresas terceirizadas, que estão mais vulneráveis neste processo. Fragilizados continuam sem medidas adequadas de proteção ou isolamentos e alguns considerados “grupo de risco” continuam trabalhando com medo de uma possível demissão.

 

Em meio a essa pandemia, o prefeito Bruno Covas (PSDB), vem encerrando contratos e deixando sem proteção inúmeras famílias, muitas delas, ficarão sem o seu único meio de sustento.

 

Temos como exemplo, o que ocorreu na semana passada, onde se encerraram alguns contratos de CEUs, de profissionais e serviços como: salva vidas, lavanderia e FHB (manutenção do Theatro), os piscineiros ficam até 1º de abril.

 

Exigimos que o prefeito mantenha os contratos, mas dispense os trabalhadores das empresas terceirizadas o mais rápido possível para que fiquem em casa e aos que puderem realizem teletrabalho, obviamente assegurando a continuação daqueles que estão exercendo trabalho nas áreas essenciais, para estes é fundamental a garantia de EPI.

 

O Sindsep também pede que se os servidores ou trabalhadores terceirizados souberem de outros contratos que a Prefeitura esteja cancelado, avise-nos em nosso WhatsApp oficial: (11) 9.7025-5497