Funcionalismo

19 de Março de 2021 - 10:03

Prefeitura volta com mesa do tráfego funerário para as equipes de servidores públicos

Após reunião entre Sindsep e representantes dos trabalhadores junto com o superintendente do Serviço Funerário Municipal de São Paulo, Dário Barreto, na quinta-feira (18), Prefeitura aceita retirar funcionários da empresa terceirizada responsável pelo caos nos cemitérios de São Paulo no pico de mortes e sepultamentos em meio a pandemia de Covid-19.

 

Trabalhadores terceirizados vão ficar disponíveis no apoio aos servidores. A empresa FVB que assumiu o contrato de terceirização levou a atrasos de dias nos velórios e sepultamentos. Tudo isso no momento com maior número de mortes e sepultamentos da história da cidade de São Paulo. No dia 16 de março, bateu recorde de sepultamentos, foram 336.

 

Uma nova negociação está agendada para o dia 26 de março, avaliará a situação. O Sindsep reafirma sua exigência de revogação da cláusula do contrato que terceiriza a mesa do tráfego do Serviço Funerário Municipal de São Paulo.

 

ENTERROS NOTURNOS

 

Na reunião Sindsep questionou as torres móveis de iluminação. No contrato divulgado pela imprensa indicam que equipamentos serviriam para abertura de sepulturas no período da noite. Tal operação pode colocar vida dos trabalhadores do serviço funerário (servidores e terceirizados) em risco.

 

Serviço funerário declarou que iluminação noturna servirá apenas para realização de sepultamentos que chegarem após às 18 horas.  No entanto, o contrato afirmava "Contratação IMEDIATA de empresa para locação de torres de iluminação para propiciar que os serviços de abertura de valas nos cemitérios municipais e sepultamentos em todos os cemitérios municipais possam ocorrer 24 (vinte e quatro) horas por dia, para caso necessário abertura de VALAS e Sepultamentos noturnos (...)". Chefe de gabinete do Serviço Funerário Municipal afirmou que contrato seria retificado.

 

Se houver enterros noturnos será necessário contratar mais sepultadores. Na reunião o Sindsep questionou sobre os sepultadores terceirizados da empresa BK, cujo contrato vence dia 22 de março. Governo informou que foi assinado novo contrato a partir do dia 19 de março. No novo contrato serão integrados mais 25 sepultadores, número insuficiente evidentemente se houver enterros noturnos.

 

VEJA O  VÍDEO DO JOÃO BATISTA GOMES FALANDO SOBRE O ASSUNTO