Funcionalismo

21 de Maio de 2019 - 15:05

REESTRUTURAÇÃO COM VALORIZAÇÃO JÁ

Campanha pela reestruturação das carreiras do nível básico (Agentes de Apoio) e nível médio (AGPPS e ASTs)

Agentes de Apoio, AGPPs e ASTs realizam plenária e decidem mobilização dia 29.05
 
Dezenas de servidores da Prefeitura de São Paulo AGPPs, agentes de apoio e ASTs, se reuniram na última quinta-feira, convocados pelo Sindsep para debater e decidir a luta pelo abono emergencial e a reestruturação das carreiras, acordados ao final da greve. 
 
 
O principal encaminhamento é a convocação de um grande Ato/Assembleia de AGPPs e agentes de apoio no dia 29 de maio, às 14h na Câmara Municipal! Confira abaixo como foi.
 
 
Na plenária, Vlamir Lima, Djalma Prado e Solange Ribeiro, dirigentes do Sindsep, alertaram os servidores sobre a grave situação. O governo vem adiando as mesas de negociação para a reestruturação das carreiras conquistadas pela greve e até agora sequer enviou o PL para a Câmara tratando do abono emergencial acordado ao fim do movimento histórico de 33 dias.
 
 
Usando o troca-troca de secretários de Gestão como desculpa para os atrasos, o Sr. prefeito Bruno Covas, dá mostras de que não valoriza os trabalhadores do nível básico e nível médio da Prefeitura, tratando-os com descaso e enrolando o cumprimento de compromissos que ele mesmo assumiu.
 
 
Diante dessa situação houve um intenso e saudável debate entre os presentes sobre as condições de trabalho e sobre o que fazer. Muitos servidores relataram as dificuldades que são obrigados a superar, com salários tão baixos e péssimas condições de trabalho. Então decidiram em função dessas condições, combater a enrolação do governo, fortalecendo a mobilização, adotando os seguintes encaminhamentos:
 
 
* Renovar a exigência de envio imediato para a Câmara do PL para o Abono Emergencial, que garante R$200,00 para agentes de apoio e R$300,00 para AGPPs e ASTs da ativa (independente da remuneração de cada um), reivindicamos também a inclusão do abono emergencial para os aposentados e a retomada imediata das negociações para reestruturação da carreira.
 
 
* Convocar UM GRANDE ATO/ASSEMBLEIA DIA 29.05 ÀS 14h NA CÂMARA MUNICIPAL, podendo decidir inclusive uma paralisação do setor.
 
* Organizar panfletagens em grandes secretarias alertando sobre a enrolação do governo e chamando à organização
 
* Organizar uma blitz na Câmara Municipal caso o projeto do abono emergencial seja enviado, para que ele tramite o mais rápido possível e para que se façam emendas contemplando os aposentados. 
 
 
*  Prosseguir realizando plenárias nos locais de trabalho e gravando vídeos de mobilização.
 
 
REFORMA DA PREVIDÊNCIA E GREVE GERAL
 
Os trabalhadores também debateram a luta contra a reforma nacional da previdência. O Sindsep está convocando junto com a CUT, as centrais e os demais sindicatos uma grande  greve geral para 14 de junho. 
 
 
 O objetivo é derrotar a proposta de reforma da previdência de Bolsonaro e do Congresso (PEC 06) que amplia o tempo de contribuição para 40 anos, amplia a idade minima para 62 anos (mulher) e 65 (homem) para aposentadoria, diminui o valor do salário do aposentado e ameaça ampliar a alíquota para bem mais que os absurdos 14% que somos obrigados a pagar.