Funcionalismo

13 de Maio de 2020 - 10:05

Sindsep cobra a inclusão de todos os servidores públicos que não foram dispensados do trabalho presencial na dispensa do rodízio de veículos

Sindicato também cobra que a administração não subtraia o vale transporte destes servidores

O Sindsep encaminhou ofício para que o prefeito Bruno Covas e a secretária de Gestão Malde Vilas Bôas garantam que servidores e trabalhadores terceirizados que estejam em trabalho presencial sejam incluídos no Decreto Municipal nº 59.403 que instituiu o rodízio ampliado de circulação de veículos no Município de São Paulo por conta da pandemia decorrente do coronavírus.
 
O Sindsep entende a necessidade de adequação da medida, por ter o decreto como objetivo principal a redução de circulação de pessoas para ampliar o isolamento social contra a disseminação do novo coronavírus, e muitos servidores de diversas secretarias não terem sido dispensados pela gestão Covas do trabalho presencial durante o período emergencial, ainda que suas atividades possam ser realizadas por meio do teletrabalho, e para minimizar o risco de adoecimento e de suas famílias passaram a utilizar seus próprios veículos para deslocamento para o trabalho e a casa. 
 
Neste sentido, o Sindsep cobra que a Prefeitura de São Paulo inclua “todos os servidores que não foram dispensados do trabalho presencial no referido decreto, bem como, que todos os servidores que efetuarem o cadastro”. 
 
No mesmo documento encaminhado, o Sindsep pede que a Prefeitura de São Paulo não subtraia o benefício Vale Transporte “como medida emergencial, uma vez que o deslocamento gera custos difíceis de arcar, especialmente por aqueles que fizeram a opção pelo benefício”.
 
 
 
Clique sobre a imagem e acesse o documento na íntegra