Imprensa

02 de Outubro de 2018 - 15:10

Sindsep realiza debate na Zona Leste 3 sobre a realidade tributária brasileira e justiça fiscal

No último dia 27 de setembro, aconteceu na UVIS  Vila Prudente, organizada por Alexandre Gianechini, coordenador da região Leste 3, uma roda de discussão sobre a realidade tributária brasileira e o conceito de justiça fiscal. O tema foi debatido, fazendo uma relação com os programas de governo dos principais candidatos à presidência do país.
 
O convidado para a atividade foi Gabriel Casnatti, coordenador do projeto de Justiça Fiscal para a América Latina, da Internacional de Serviços Públicos (ISP) – Federação Sindical Internacional que representa mais  de 20 milhões de trabalhadores e trabalhadoras do setor público em mais de 160 países.
 
Durante quase duas horas de atividade, os participantes puderam desconstruir alguns dos mitos mais comuns acerca da estrutura da tributação no Brasil e viram como, na prática, nosso país onera muito mais a classe trabalhadora do que os detentores do capital, o que amplia ainda mais a gritante desigualdade social e faz com que os cofres públicos não coletem impostos suficientes para garantir serviços públicos universais, gratuitos  e de qualidade.
 
Para reforçar a argumentação, além de destrinchar na teoria a desigual estrutura tributária brasileira, Gabriel apresentou diversos mecanismos fiscais que privilegiam apenas o 1% mais rico da sociedade, comprovando que os ricos seguem acumulando mais e mais fortunas sem a contrapartida para o Estado, o que na prática o déficit das contas públicas aumenta a cada dia mais e com isso o país atravessa uma das crises fiscais mais sérias da história. 
 
Numa conclusão acalorada, com grande interação dos participantes, o palestrante abordou em linhas gerais as principais propostas de reforma tributária contidas nos planos de governo dos quatro candidatos melhores colocados na campanha hoje. E claro que essa conclusão nos deixou a certeza que quem pode tirar o país da crise não são propostas mirabolantes, nem oportunistas e sim a taxação das grandes fortunas, com a revogação da Deforma  Trabalhista e com a taxação das grandes fortunas. 
 
Encerramos a atividade com a eleição de representantes sindicais de unidade, reforçando a importância da representatividade sindical no momento de tentativa de retirada de direitos em nosso país e lembrando que a reforma da previdência federal e também o PL 621, que dispõe sobre a reforma da previdência municipal atingem os servidores e servidoras públicas municipais de São Paulo. Sabemos que só reverteremos esse quadro com debates sérios nos locais de trabalho e com luta nas ruas!
 
Somos de Luta!
Somos Sindsep!!!!