Notícias

30 de Abril de 2021 - 09:04

1º de Maio: Lives e carreatas dos trabalhadores pedirão Fora Bolsonaro, em programação unificada

Confira as atividades na Capital e as lives que ocorrem nesta sexta (30) e amanhã (1º), com Lula, Dilma e Chico Buarque

Com informações da Redação CUT-SP e CUT Nacional



Para celebrar o 1º de Maio, Dia Internacional dos Trabalhadores e das Trabalhadoras, o Sindsep, junto com a CUT, centrais sindicais e movimentos sociais, participa de uma programação com atos unificados virtuais e carreatas por toda a São Paulo para denunciar a política genocida do governo federal que já tirou a vida de mais de 400 mil pessoas no Brasil em decorrência da covid-19. O 1º de Maio de Resistência, Luta e Solidariedade.

 

ATO VIRTUAL UNIFICADO SP

 

 ARTE: MARIA DIAS/CUT-SP

 

Nesta sexta-feira (30), às 17h, o Sindsep estará na super live pelo Facebook, no Ato Virtual Unificado que será transmitido pelas páginas do Sindsep e CUT São Paulo, além das demais centrais e movimentos que participam da atividade, CSP Conlutas, CTB, CUT, Intersindical Central da Classe Trabalhadora e Intersindical Instrumento de Luta e os movimentos sociais e populares que integram as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

 

Ao saudar neste 1º de Maio o conjunto da classe trabalhadora e, em especial, os servidores/as públicos/as municipais que estiveram na linha de frente do combate da pandemia, Sérgio Antiqueira, presidente do Sindsep, lembrou de uma série de problemas, mortes e adoecimentos que foram enfrentados esse ano. "Foi um ano de muitas lutas para obrigar o governo Bruno Covas a respeitar os direitos dos/as trabalhadores/as, já que esse governo não tem respeito algum pelos servidores e população em geral, e mais recentemente com as trabalhadoras/es lutando pela vida, numa Greve na Educação, quero saudar, mas também lembrar que temos um período de luta pela frente não só do funcionalismo, mas de toda a classe trabalhadora, população no Brasil. Esse 1º de Maio simboliza tudo isso, passa pela questão da Reforma Administrativa, que temos de combater, e para isso a gente precisa da solidariedade, da força e da unidade de toda a classe trabalhadora, inclusive dos que estão desempregados, como resultado da calamidade que são esses governos Federal, Estadual e Municipal".

 

De acordo com Douglas Izzo, presidente da CUT-SP, a iniciativa unificada visa intensificar as lutas da classe trabalhadora na defesa da vida, da vacina para todos e todas, do fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde), do auxílio emergencial de 600 reais até o fim da pandemia, dos empregos, contra a Reforma Administrativa e as privatizações e pelo Fora Bolsonaro.

 

A Greve na Educação pela Vida também está entre as bandeiras de luta reforçadas neste 1º de Maio, assim como o combate à fome e a carestia devido ao agravamento das crises sanitária e econômica. 

 

Clique aqui para acompanhar pelo Facebook do Sindsep

 

CARREATAS

Além da participação no Ato Virtual Unificado, o Sindsep está na organização de carreatas e faixaços na capital paulista, na manhã do sábado, 1 º de Maio, para sensibilizar a população para a importância da participação social contra a política genocida do governo federal frente à pandemia da Covid-19 que já matou mais de 400 mil pessoas em todo o país.

 

Na Capital, as ações serão realizados por meio de carros, motos ou bicicletas e estão previstas para o período da manhã, com saídas de diversos pontos do Estado. As carreatas contam com a participação da CUT São Paulo, CTB, Intersindical Central da Classe Trabalhadora, Intersindical Instrumento de Luta, CSP Conlutas e os movimentos sociais e populares que integram as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

 

Entre as bandeiras de luta defendidas pelo Sindsep, centrais e movimentos, estão a defesa da vacinação para todas e todos, o fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde), do auxílio emergencial de 600 reais até o fim da pandemia, dos empregos, a luta contra a volta das aulas presenciais, a fome e a carestia. Os organizadores também são contrários à reforma Administrativa e às privatizações, e pedem o fim do governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL).

 

“Desde o início da pandemia, um em cada quatro trabalhadores perdeu o emprego em São Paulo e quase 4 milhões tiveram suas situações pioradas. Isso reflete a política desastrosa que tem sido aplicada não só aqui no Estado, mas como em todo o país, por meio de governos que negam condições básicas e de dignidade à população. As políticas econômicas de Bolsonaro e Doria têm fechado fábricas, aumentado a fila do desemprego e, pior, trouxe a fome de volta. Por isso, os atos deste ano pedem mudanças urgentes, além de terem o caráter solidário”, afirma Douglas Izzo, presidente da CUT São Paulo.

 

Estão previstos atos nas regiões Sul, Leste, Norte, Oeste e Centro, com trajetos passando por diversos bairros (confira abaixo). Faixas também serão espalhadas por pontos estratégicos da cidade, como viadutos e ruas de grande circulação.


O Sindsep detalha aqui de onde sairão as carreatas em São Paulo e convida a todas servidoras e servidores a se somarem nas atividades de mobilização contra a crise sanitária, política e social que estamos atravessando.

 

ARTE: EBBIOS/SINDSEP

 

CARREATAS NA CAPITAL SP – 1º de Maio 2021

 

Zona Leste


CARREATA 1 (São Mateus / Sapopemba / Vila Prudente / Vila Formosa / Tatuapé)


Concentração a partir das 8h30 na Rua Ursa Menor x Avenida Ragueb Chofhi na altura do número 58 - atrás do Atacadista Assaí, com saída prevista para 9h30 em direção à Praça Brasil, no – Conjunto Residencial José Bonifácio, em Itaquera.

 

CARREATA 2 (Cidade Tiradentes)


Concentração a partir das 9h, na ETC (Avenida dos Metalúrgicos), com saída às 9h30 em direção à Praça Brasil, no – Conjunto Residencial José Bonifácio, em Itaquera.

 

CARREATA 3 (Guaianases)


Concentração às 9h no DZ Guaianases (Rua Darcilena) de saem em direção à Praça Brasil, no – Conjunto Residencial José Bonifácio, em Itaquera.

 

CARREATA 4 (Itaquera)


Concentração às 9h no Largo da Matriz (Rua Flores Do Piauí) partindo em direção à Praça Brasil, no – Conjunto Residencial José Bonifácio, em Itaquera.

 

CARREATA 5 (São Miguel / Itaim Paulista)


Concentração às 9h na Praça Rotary com saída em direção à Praça Brasil, no – Conjunto Residencial José Bonifácio, em Itaquera.

 

CARREATA 6 (Vila Formosa / Tatuapé)


Concentração a partir das 8h20 na Rua Costureira, altura do número 777, seguem para encontro com militantes de outros bairros na Rua Ursa Menor x Avenida Ragueb Chofhi na altura do número 58 - atrás do Atacadista Assaí, de onde sem juntos às 9h30 em direção à Praça Brasil, no – Conjunto Residencial José Bonifácio, em Itaquera.

 

 

Zona Sul


CARREATA 1 (Santo Amaro)


Concentração às 9h na Avenida Nossa Senhora do Sabará, altura do nº 1.600 (antiga Fábrica Silvania), seguindo até o Cemitério São Luiz (Rua Luis Antônio Verney)

 

 

Sudeste


CARREATA 1 (Jabaquara)


Concentração às 9h na Igreja São José (Avenida Engenheiro Armando Arruda Pereira) seguindo até a Estrada de São João Clímaco, onde faz retorno na Igreja e encerra a carreata.

 

 

Norte


CARREATA 1


Concentração às 9h na Estrada do Sabão (Sacolão), no Jardim Maristela seguindo até o CEI Indir Vila Maria (Rua dos Condoreiros, 400 - Conjunto Promorar - Vila Maria III)

 

 

Oeste


CARREATA 1 (Largo da Batata)


Concentração às 9h nos arredores do Largo da Batata (Rua Padre Carvalho), com saída às 9h30, seguindo até a entrada da Comunidade São Remo, pela rua lateral do Mercado Roldão (Rua Baltazar Rabelo).

 

 

Centro


CARREATA 1 (Praça do Patriarca)


Concentração 9h na Praça do Patriarca, saída em direção à Prefeitura, onde faz uma parada, encerrando com no Prédio da Hilton Paes, onde a militância do Diretório Zonal do Centro e forças sociais e políticas se somam ao ato da moradia.

 

 

Centro Expandido


CARREATA 1 (Mooca)


Concentração às 9:30 na Rua dos Trilhos, seguindo até a Rua Visconde de Laguna, esquina com a Rua Javari – onde encerra a primeira parte do trajeto do local histórico da primeira Greve Operária do Brasil, em 1917, e segue até a Praça da República para encerramento final da carreata.
 

 

ATO VIRTUAL UNIFICADO COM LULA, DILMA E CHICO BUARQUE


No sábado (1º), a partir das 14h, Lula, Dilma Rousseff e Chico Buarque estarão no 1º de Maio Pela Vida, Democracia, Emprego, Vacina para todos e pelo Auxílio Emergencial de R$ 600, enquanto durar a pandemia. De forma unitária, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, Intersindical, Pública e CGTB realizam ato do Dia Internacional do Trabalhador e da Trabalhadora, em formato de live, com transmissão da Rede TVT – a TV do Trabalhador - e redes sociais e Youtube da CUT, pela página do Facebook do Sindsep e centrais.
 

A live do 1º de Maio Unitário das Centrais deste ano terá formato diferente do de 2020 (que já foi inédito à época) e duração menor. No ano passado, foram quase seis horas de ato virtual. Neste, a previsão é de três horas de duração. Total de 18 dirigentes – os nove presidentes mais nove mulheres dirigentes – falarão pelas centrais ao longo da transmissão.

 

Os ex-presidentes da República petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, participarão do ato. Também estarão na live Guilherme Boulos (PSOL), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), Manuela D’Ávilla (PC do B), Alessandro Molon (PSB), Aristides dos Santos, presidente da Contag, Iago Campos, presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), João Paulo Rodrigues, da direção nacional do MST e da Frente Brasil Popular, além de parlamentares e lideranças partidárias, que são contra o negacionismo e apoiam a luta das centrais pela vacina e auxílio emergencial de R$ 600. 

 

Os presidentes das centrais discursarão na live a partir de um estúdio. As falas políticas serão intercaladas por apresentações e depoimentos de artistas sobre o tema deste ano. O programa será ancorado pela cantora, compositora e apresentadora Ellen Oléria, que comanda o Estação Plural, na TV Brasil.

 

Também no estúdio, a atriz, cantora e multi-instrumentista paraibana Lucy Alves fará a apresentação artística que encerrará o ato do 1º de Maio Unitário das Centrais Sindicais. Estão previstas falas ou apresentações de Chico Buarque, Elza Soares, Chico César, Teresa Cristina, Delacruz, Johnny Hooker, Marcelo Jeneci, Odair José, Aíla, Renegado, Bia Ferreira, Doralyce, Osmar Prado, Gregório Duvivier, Spartakus, Lirinha, Tereza Seibilitz, Elen Oleria, Paulo Betti.

 

Clique aqui para acompanhar pelo Facebook do Sindsep