Notícias

14 de Setembro de 2018 - 17:09

10º Seminário dos Trabalhadores da Saúde

Com auditório lotado, os desmontes que vem ocorrendo na saúde, tanto na esfera nacional, quanto na municipal, foram debatidos pelos palestrantes convidados

O Sindsep realizou, nos dias 13 e 14 de setembro, no Centro de Formação, o 10º Seminário dos Trabalhadores da Saúde. Tal encontro teve como objetivos: Sensibilizar os trabalhadores e trabalhadoras acerca dos ataques gerais à seguridade social e ao SUS (vindos da esfera federal e estadual), suas ligações com os ataques vindos da esfera municipal, bem como quais impactos que tais ataques terão na vida dos trabalhadores(as) públicos(as) (em especial os trabalhadores(as) da saúde pública municipal) e dos(as) usuários(as) do SUS; Implicar os trabalhadores e trabalhadoras na luta para frear os ataques ao SUS e à seguridade social como um todo, implicando-os(as), em especial, na luta contra a desestruturação da saúde pública no município de São Paulo.
 
A mesa de abertura foi composta por Lourdes Estevão (Secretária dos Trabalhadores da Saúde), Sergio Antiqueira (Presidente do Sindsep), Solange Ribeiro (Secretária de Finanças), Douglas Izzo (Presidente da CUT-SP) e Denise Dau (Assessora da Internacional dos Serviços Públicos). 
A primeira mesa do encontro, que teve como tema “O sistema Único de Saúde e os ataques contra o sistema de seguridade social no Brasil”, foi coordenada por Lourdes Estevão (Secretária dos Trabalhadores da Saúde) e secretariada peor Djalma Prado (Secretária de Cultura e Eventos). Fernando Aith da Faculdade de Medicina da USP foi o primeiro palestrante, e tratou da concepção do Sistema Único de Saúde e sua situação perante o desmonte do sistema de seguridade social no Brasil. Já Stephan Sperling, da Faculdade de Saúde Pública da USP, falou sobre a PNAB, a EC95 e os problemas no financiamento do SUS. Por fim, o deputado Estadual, Carlos Neder, tratou dos descaminhos traçados pela terceirização e “OSização” do SUS.
 
A segunda mesa teve como tema “A desestruturação da Atenção Básica (RAS) no município de São Paulo”, contou com a coordenação de Maria de Lourdes da Rocha Alves (Secretária do setor Jurídico, Econômico e Pesquisa), e o secretariado de Laudiceia Reis (Coordenadora Regional Sul I). Américo Sampaio, da Rede Nossa São Paulo, um dos palestrantes convidados, tratou da situação das políticas públicas na cidade de São Paulo. Jorge Kayano do Instituto Pólis, falou sobre a desestruturação da saúde na cidade de São Paulo.
 
O segundo dia iniciou com a Mesa temática 3: “O caos na área de urgência e emergência do município de São Paulo”, com a coordenação de Vlamir Lima, (Secretário de Política Intersindical) e o secretariado de Ejivaldo do Espirito Santo (Coordenador da região Leste II). A palestrante Gisele de Oliveira, da Fundação Oswaldo Cruz, falou sobre a situação da área de urgência e emergência no Brasil e no Rio de Janeiro. Rubens Kon, da Faculdade de Medicina da USP, tratou da situação da área de urgência e emergência no município de São Paulo. 
 
A mesa de encerramento do seminário, “A participação dos trabalhadores da saúde no controle social do SUS”, contou com a coordenação de Antônio Carlos Lima (Secretário geral do Sindsep) e o secretariado de Alexandre Sallum (Coordenador Regional Leste III). Um dos convidados foi Ronald Ferreira dos Santos do Conselho Nacional de Saúde, que tratou do significado da participação popular e do controle social no SUS. Já Hugo Fanton, da União dos Movimentos Populares de Saúde, trouxe como tema a importância, as possibilidades e os entraves da participação dos usuários no controle social do SUS, bem como a importância da parceria entre usuários e trabalhadores do SUS.
 
Por fim, Leandro de Oliveira, do Conselho Municipal de Saúde, realizou uma explanação sobre a importância, as possibilidades e os entraves da participação dos trabalhadores no controle social do SUS, o apoio dos sindicatos no controle social, bem como a importância da parceria entre trabalhadores e usuários do SUS.