Notícias

08 de Abril de 2021 - 17:04

Após insistência, SME recebe representantes do Fórum das Entidades em Greve

Representantes do Fórum das Entidades estiveram nesta quinta-feira na frente da Secretaria Municipal de Educação para exigir um retorno sobre a pauta de reivindicações da Greve Pela Vida. Porém, a despeito das falas do próprio governo, de que as portas estão sempre abertas, SINDSEP, SINESP e SEDIN tiveram que esperar, na rua, por mais de uma hora e meia até que, de forma inusitada, a Secretária-Adjunta, Mineia Fratelli, os recebeu no portão da SME.

A posição do governo é a de que, para negociar, é preciso finalizar a greve. Mas, para o entendimento do movimento, a greve continua para que haja negociação real. Mineia se comprometeu, ao menos, a responder por escrito e em detalhes o que a SME pensa em desenvolver no próximo período, para a partir da análise das entidades retomar as negociações para uma provável condição de suspensão do movimento grevista, segundo o que espera o governo.


Maciel Nascimento, secretário dos Trabalhadores da Educação, juntamente com representantes de outras entidades, em conversa com a secretária-adjunta em frente à SME

Os profissionais da educação estão há 57 dias em greve. As trabalhadoras e trabalhadores exigem do prefeito Bruno Covas (PSDB), proteção das vidas das comunidades escolares e dos/as trabalhadores/as da educação.

O retorno às aulas sem condições reais de proteção da vida é uma irresponsabilidade criminosa.

O movimento de greve exige ainda do prefeito Covas, que a pandemia seja controlada na cidade de São Paulo, para só assim reabrir as escolas para atividades presenciais. Pois querem um retorno seguro das aulas e até que isso não aconteça, pedem a suspensão de todas as atividades presenciais nas unidades escolares.

Para um retorno seguro, precisa haver uma queda expressiva dos índices de contaminação, ocupação de leitos de UTIs e óbitos, conforme orientação do retorno às aulas presenciais da Fundação Oswaldo Cruz.

Além destas exigências dos profissionais em greve, dentro da pauta de reivindicações estão:

  • Realização de verdadeiros testes da Covid-19 (testes RT PCR) para trabalhadoras/es e estudantes antes de retorno (testagem periódica) e isolamento e monitoramento de todos casos suspeitos;
  •  Publicação de um calendário da SME/SMS de vacinação para todos os profissionais da educação e toda a comunidade escolar; inclusão imediata dos Analistas dos CEUs entre os profissionais à serem vacinados;
  • Equipamentos de proteção de qualidade e em quantidade para estudantes, famílias e trabalhadores da educação;
  • Distribuição do tablets, conexão à internet e cartão Vale Merenda para as famílias dos estudantes. Auxílio emergencial para as famílias terem condições de proteção e isolamento social;
  • Recomposição dos quadros de servidores nas escolas;
  • Reformas estruturais nas escolas para garantir ventilação.


A greve da educação é pela vida. Vida dos alunos, famílias e profissionais da educação!