Notícias

14 de Setembro de 2021 - 19:09

Cancela essa Reforma já! Sindsep, entidades e trabalhadores protestam em Dia Nacional de Luta contra PEC 32

Atos ocorreram em vários estados do país contra a PEC 32 proposta por Bolsonaro, que ataca aos serviços públicos; Caminhada em Brasília, com ação no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek pressionando os deputados foi destaque no dia

Junto com os protestos e atos por todo o país contra a Reforma Administrativa de Bolsonaro (PEC 32), o Sindsep, a Fetam e a CUT junto com diversas entidades e trabalhadores do setor público se reuniram em ato na tarde desta terça-feira, 14.09, em frente à Prefeitura.

Na pauta a luta contra a Reforma Administrativa (PEC 32) e a cobrança ao Prefeito Ricardo Nunes da pauta reivindicativa da Campanha Salarial 2021, entre elas, o fim do 0,01%, a luta por reajuste salarial, compensando as perdas da inflação, reestruturação das carreiras do Nível Básico e Médio e a inclusão dos aposentados nos ganhos salariais.

Sergio Antiqueira, presidente do Sindsep, abriu o ato falando da pauta da Campanha Salarial, além de destacar a união entre as diversas entidades que compuseram o ato. “Este 14 de setembro faz parte das atividades em conjunto das entidades sindicais em todo país. A Reforma Administrativa (PEC 32) é um ataque aos serviços públicos, que fere direitos garantidos pela Constituição e ataca diretamente à população,” enfatizou Sergio.


Sérgio Antiqueira em fala durante o ato contra a Reforma Administrativa e pela Campanha Salarial. Foto: Elineudo Meira (Chokito)

Sergio, ainda, responsabilizou o governo municipal pelo déficit previdenciário, já que o mesmo pretende implementar um Sampaprev II, uma nova reforma na previdência pública municipal. “O governo é culpado pelo déficit, se é que ele existe, pois não realiza concursos,” afirmou, lembrando que o número de aposentados está se aproximando do número de servidores na ativa. E, ainda, fez um chamado à luta, “temos que fazer uma luta conjunta entre aposentados e ativos.”

Unanimidade nas falas: Cancela a Reforma Já!
Após a abertura, diversos representantes das entidades presentes fizeram uso da palavra, com todas e todos se posicionando contra a Reforma Administrativa (PEC 32), pois ela ataca direitos dos servidores, ataca aos serviços públicos e, principalmente, afeta a população, que depende destes serviços. Estiveram presentes entidades representantes dos trabalhadores da saúde, setores administrativos, judiciário, educação, entre outros.

Márcia, representando o Fórum das Entidades, falou da falta de diálogo por parte da Prefeitura, uma vez que já estamos em setembro e a Campanha Salarial deste ano ainda não caminhou. “O Prefeito nunca desenvolveu sobre a Campanha Salarial, não encaminha nada nas mesas de negociação”, afirmou Márcia.

O vice-presidente da CUT São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino, relembrou das Reformas já implementadas, como a Trabalhista e da Previdência, que prometiam melhorar a situação econômica após o golpe em 2016, mas só vimos ataques aos direitos dos trabalhadores. “Todas as reformas possuem correlação entre elas, de ataques aos trabalhadores, reduzindo direitos e o papel do Estado”, afirmou Marcolino.


Representantes de diversas entidades estiveram presentes no ato. Foto: Alexandre Linares/Sindsep

Solange Ribeiro, diretora do Sindsep e da CUT São Paulo, reforçou que o maior prejudicado com o desmonte dos serviços públicos é a própria população. “Não serão só os servidores públicos os prejudicados pela PEC, mas toda a população. E somos nós, os servidores, que estamos na ponta do serviço, que atendemos à população. E nós que temos que levar o recado do desmonte que este desgoverno está fazendo nos serviços”, afirmou Solange.

João Batista Gomes, diretor de imprensa do Sindsep e da integrante da executiva da CUT Nacional, ressaltou o caráter nacional das mobilizações, lembrando da manifestação no aeroporto de Brasília. “Muito importante realizar este ato, em conjunto com companheiros de diversos estados. A classe trabalhadora precisa estar junto contra esse governo Bolsonaro. O povo brasileiro tem todas as condições para derrota-lo, dar a volta por cima e recuperar os nossos direitos.”, afirmou João.

Lourdes Estevão, secretária dos trabalhadores da saúde do Sindsep, fez uma defesa dos serviços públicos e do Sistema Único de Saúde, fundamental para a população, sobretudo em um momento de pandemia. “Se não fosse o SUS, teríamos muito mais mortes, passaria de 1 milhão de pessoas que teriam ido à óbito. A luta contra o desmonte dos serviços públicos é uma luta de toda a população”, enfatizou Lourdes.

Douglas Cardozo, trabalhador da saúde, falou do esforço dos trabalhadores e de como o governo coloca a culpa dos problemas em cima dos servidores. “Eu, como servidor da saúde, posso falar bem. Os servidores públicos nos hospitais estão ali servindo bem a população, realizando seu trabalho. Mas o governo quer colocar nas costas dos servidores os erros do próprio governo”, que sucateiam, terceirizam e não valorizam os servidores, segundo ele.

O aposentado da saúde, Omar Braga, fez um apelo ao Prefeito Ricardo Nunes pelo reajuste salarial que compense as perdas da inflação. Está na pauta da Campanha Salarial a reposição de 51,38% no salário, corroídos pela inflação, que tira o poder de compra dos trabalhadores e faz com que seja muito difícil por comida na mesa. “Nós servidores públicos aposentados queremos comer e pagar nossas contas. Não podemos ficar à mingua”, exigiu Omar.

João Gabriel, vice-presidente do Sindsep, finalizou o ato enaltecendo a união das diversas entidades. “É a primeira vez em anos que reunimos tantas organizações em um mesmo ato. A ação de hoje é simbólica.” E, e conclamou a todos e todas para lutarmos juntos, “a saída é marchar juntos, defendendo os direitos da classe trabalhadora.”

Uma comissão de representantes das entidades se reuniu com o governo e apresentou as pautas da Campanha Salarial e contra a possibilidade de uma nova reforma previdenciária no município. O Sindsep disponibilizará em breve uma nota com os resultados da mesa de negociação com o governo.

Luta em Brasília
Estiveram presentes no Distrito Federal diversos servidores municipais, estaduais e federais, de todas as regiões do país, para participar da Marcha Nacional pela Derrota da Reforma Administrativa. Vlamir Lima, diretor do Sindsep e da Confetam, participou da Marcha e falou sobre a importância destes atos para barrar a Reforma. “Foi muito importante esta movimentação, pois mostrou nossa força, com representantes de diversos estados e ajudou na pressão aos deputados”, afirmou Lima. A comissão especial na Câmara dos Deputados retomará os trabalhos nesta quarta-feira, 15.09, e precisamos reforçar a pressão pela não votação do relatório do deputado Arthur Maia. Cancela a Reforma JÁ!


Sindsep presente na Marcha em Brasília. Foto Ivany Almeida