Notícias

19 de Dezembro de 2019 - 11:12

Cipeiro é transferido para hospital 20 km distante de seu local de atuação

O assistente de Suporte Técnico (AST) Valdomiro Marques, representante sindical e titular do Conselho de Representantes Regionais (CRR) do Sindsep, também foi vítima de transferência ilegal no mês de novembro. Publicada pela Autarquia Hospitalar Municipal (AHM), no dia 6 de novembro, a portaria 164 removeu o servidor do Hospital José Soares Hungria (Pirituba), onde trabalha há cinco anos como técnico em Segurança do Trabalho, para o Hospital Municipal e Maternidade Prof. Mario Degni (Rio Pequeno). Pelo googlemaps, uma distância de 20 quilômetros de onde o servidor mora. De carro, o trajeto ultrapassa os 40 minutos, já de transporte público, o deslocamento pode chegar a 1h40.
 
 

“Eu morava há 10 minutos do hospital de Pirituba", conta Valdomiro.
 
Marques, que ingressou no serviço público há 5 anos e sempre trabalhando próximo de sua casa, está indignado. “Eu morava há 10 minutos do hospital de Pirituba, onde escolhi para assumir. Trabalho em favor da garantia da saúde do servidor/a e população e não poderia ser transferido sem pedir”.
 
 
Eleito a dois mandatos consecutivos para a Cipa do hospital em Pirituba, este ano encerra seu segundo mandato. Pela Lei 13.174/01 “titulares da representação dos servidores da Cipa têm de permanecer no seu setor, não podem ser exonerados sem justa causa, durante seu mandato e até dois anos após o término do mesmo”.
 
 
Vice-presidente do Conselho Gestor da Supervisão Pirituba, coordenador do Forum de Saúde dos Trabalhadores e titular do Conselho Gestor do Hospital de Pirituba, Marques acredita ter sido afastado em razão do trabalho de conscientização e garantia de saúde para exercício do trabalho dos servidores públicos e contratados por organizações sociais de saúde (OSS) na unidade hospitalar.
 
 
Além de entrar com mandado de segurança em 14 de novembro, para que o servidor possa retornar ao local de trabalho em Pirituba, o Sindsep vem fazendo uma campanha de solidariedade ao servidor. “Não estou praticando nenhum crime. Apenas buscando garantir a saúde dos trabalhadores que são abandonados pelo Poder Público. Existe uma necessidade de cuidar de quem cuida da população”.