Notícias

16 de Novembro de 2021 - 10:11

CREMATÓRIO DA VILA ALPINA: foram desativados 2 fornos e comprados 4 novos. O que é isso?

Servidores do Serviço Funerário da Vila Guilherme foram surpreendidos com a chegada na última sexta-feira, 12 de novembro, de um caminhão contendo dois fornos de cremação de corpos.

 

Trabalhadores ficaram se perguntando o que seria aquilo? Fornos usados, fornos novos? Ninguém sabia o que era. O caminhão descarregou os fornos e as coisas foram ficando claras.

 

Já que no mesmo dia saiu uma publicação no Diário Oficial, na página 101, que fazia correção da publicação sobre a contratação de manutenção emergencial, com fornecimento de peças de reposição originais e materiais de consumo para os dois fornos (nº 3 e nº 4), em operação, manutenção rotineira das duas chaminés e treinamento de servidores.  O que custará para os cofres do serviço funerário R$ 43.359,56 e R$ 7.800,00, neste ano e para o próximo R$ 275.200,44 e R$ 7.800,00.

 

No entanto, uma pergunta fica no ar: Não havia quatro fornos no crematório? Sim. Porém os dois fornos que chegaram na Vila Guilherme, foram desativados e retirados de lá. Por quê? Não temos essa informação. Mas vamos recapitular. O Serviço Funerário contrata empresa para ampliação do crematório com mais quatro fornos novos.

 

Contratação com dispensa de licitação soma mais de 3 milhões

 

Ainda o que chama atenção neste projeto é o fato de que o Serviço Funerário contratará com dispensa de licitação duas empresas para ampliação do crematório da Vila Alpina, somando um valor de mais de 3 milhões de Reais. Sendo que uma delas a Brucker Soluções em Forno LTDA, é quem irá fornecer quatro fornos crematórios no valor de dois milhões e trezentos mil reais. 

  

Já a empresa de construção civil, Construtora Lettieri Cordaro LTDA, será contratada para realizar o serviço de mão de obra especializada e fornecimento de materiais para a construção e ampliação do crematório, no valor de um milhão, cento e setenta e sete mil novecentos e oitenta e seis reais e doze centavos. 

  

Essa contratação de forma emergencial e com dispensa de licitação, mais uma vez chama a atenção, já que o Serviço Funerário passa por uma situação de possível extinção e abertura de licitação para a sua concessão/privatização. A reforma e compra de fornos novos seria então para preparar a concessão? 

 

É necessário visualizar que além da aparência deste projeto, é preciso ver sua essência. Pois ao mesmo tempo, a Secretaria de Governo retoma o processo de concessão/privatização do SFMSP, onde prevê a construção de três novos crematórios. Ou seja, amplia o crematório da Vila Alpina, compra quatro fornos novos, desativa dois fornos e outros dois serão feitos a manutenção para entregar para as empresas que poderão vir assumir a concessão. Tudo com verbas públicas.