Notícias

24 de Julho de 2018 - 11:07

Justiça decreta suspensão da cremação de 1600 ossadas no cemitério da Quarta Parada

A Juíza da 2 Vara de Registros Públicos do TJ SP, acolheu ao pedido feito em nome do CONDEP (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana), do ILADH (Instituto Latino Americano de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos), da Associação Brasileira de Busca e Defesa à Criança Desaparecida e do Sindsep, e assim decretou a suspensão dos efeitos da sentença que havia concedido autorização para cremação de cerca de 1.600 ossadas, para vedar a realização de qualquer cremação até ulterior deliberação.

No momento a Juíza abriu vistas dos autos ao PLID (Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos) do Ministério Público de São Paulo, que requereu vistas com urgência. Na petição foi argumentado que cremar as ossadas de maneira indiscriminada de pessoas que podem ter sido vítimas da ditadura, desaparecidos políticos e jovens exterminados que nunca foram encontrados seria um verdadeiro absurdo.

Segundo consta do próprio processo as ossadas que iriam ser cremadas eram cerca 1.600 não identificadas e decorrentes de exumações realizadas entre os anos de 1941 e 2000 no cemitério da Quarta Parada.

O Sindsep reitera seu compromisso na luta pelos Direitos Humanos, de memória, verdade, justiça e reparação.