Notícias

19 de Novembro de 2021 - 14:11

Nota de repúdio a agressão sofrida pela Deputada Estadual Professora Bebel

Manifestamos nosso repúdio à agressão por segurança da Secretaria Estadual de Educação frente a agressão ocorrida contra a professora Maria Izabel Noronha, a Bebel, presidenta da Apeoesp e deputada estadual (PT).



A agressão é parte da escalada dos governos contra os servidores públicos. A professora Bebel foi à Secretaria, no exercício do seu mandato popular e na condição de representante sindical dos professores do Estado de São Paulo, para tratar das absurdas tentativas de ataques ao Centro Estadual de Educação para Jovens e Adultos (CEEJA), como a extinção de disciplinas, e o fechamento de salas de aulas no Educação de Jovens e Adultos (EJA) e no ensino noturno.

Denunciamos a ação das forças de segurança contra representantes dos trabalhadores. No último dia 10 de novembro servidores públicos municipais sofreram barbaridades a mando do presidente da Câmara Municipal de São Paulo, vereador Milton Leite: bombas e disparos de projéteis de borracha contra trabalhadoras/es e aposentados que enfrentavam os projetos de lei que confiscava aposentadorias enviado pelo Prefeito Ricardo Nunes. Servidores ficaram feridos com a bestialidade da GCM e da PM contra trabalhadores que buscavam defender seus direitos. E neste dia a companheira Bebel estava na Câmara municipal e foi fundamental para garantir a permanência de servidores e diretores do Sindsep na galeria pois o presidente Milton Leite queria que a GCM os retirasse.

Sem dúvidas, essa recente agressão contra a Professora Bebel por parte da Secretaria Estadual de Educação do governador João Doria e o ataque aos servidores municipais por parte do governo Nunes e da presidência da Câmara Municipal alinham todos esses governos ao Governo Bolsonaro: agentes de destruição de direitos e violência autoritária contra os trabalhadores.

O Sindsep - Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo manifesta sua integral solidariedade à Professora Bebel e exige a apuração do tratamento truculento e antidemocrático da Secretaria Estadual de Educação.