Notícias

01 de Outubro de 2021 - 17:10

Nota de Repúdio do Coletivo de Endemias aos ataques sofridos por Profissionais da Categoria

Nós, Agentes de Endemias da Secretaria da Saúde do município de São Paulo, aqui representados pelo Coletivo de Endemias do Sindsep, manifestamos total repúdio a publicações caluniosas, feitas por uma pessoa disseminadora de fakenews e ataques caluniosos aos serviços públicos. Em sua publicação mentirosa, a pessoa alega que os agentes de endemias "trabalham somente 2 horas por dia e ganham R$ 4 mil".

Essa cidadã acreditamos que sequer conhece o nosso trabalho nem se dignou a pesquisar no Portal da Transparência, para saber ao certo quanto ganhos.

Talvez ela não saiba que andamos muito, embaixo de sol escaldante ou da chuva, para visitar casa a casa, verificando a existência de fontes disseminadoras de doenças, como dengue ou chikungunya, arriscando nossa saúde e vidas para levar cuidados a todas as comunidades, sejam elas na periferia ou nos regiões melhor dotadas de infraestrutura.

Muitos de nós já foram assaltados e agredidos. Nossas condições de trabalho são precárias e, muitas vezes não recebemos materiais ou trajes necessários à realização das atividades.

Andamos em córregos imundos e repletos de lixo, para acabar com a proliferação de ratos e de insetos que causam doenças. Cabe, também, a nós o trabalho de nebulização, para matar  insetos, respirando veneno e em condições desumanas.

Mesmo com a pandemia, não tivemos autorização para trabalho remoto – como se pode visitar e inspecionar as casas, remotamente, se algumas pessoas sequer abrem a porta, quando vamos presencialmente? Mesmo com a pandemia, tivemos que nos alimentar nas unidades com grande aglomeração muitas vezes ao lado de salas onde guardam veneno ou de banheiros.

Nas campanhas de vacinação de animais contra a raiva, também somos nós que atuamos, no sol ou na chuva, por até 12 horas, sem sanitários para usar, recebendo apenas um lanche.

Sem contar que coube, ainda, aos Agentes de Endemias, contribuir na vacinação e nas campanhas contra a Covid-19, sábados, domingos e feriados, por muitas horas além das 8 da categoria, sem receber nenhuma compensação salarial ou “muito obrigada” do Poder Público.

Quanto ao salário, o inicial da carreira é de R$1.800,00, conquistado com muita luta em 2014, quando houve a reestruturação, e desde 2016 o reajuste anual não passa de 0,01%. Se considera o nosso “o emprego dos sonhos”, venha se juntar a nós no trabalho de cuidar da saúde da população. Toda ajuda é MUITO BEM VINDA!!!

Mais uma coisa, senhora “cidadã” disseminadora de fake news: não ficaremos calados nem permitiremos calúnias em relação a nós e ao nosso trabalho. Solicitaremos providências à Secretaria da Saúde para evitar que, no futuro, pessoas como a senhora volte a nos denegrir, impunemente.