Notícias

25 de Junho de 2020 - 18:06

Primeiro RSU online debate situação dos trabalhadores na pandemia e a atual conjuntura política.

Reunião contou com análise de conjuntura feita pelo economista e professor, Marcio Pochmann, além do debate acerca dos ataques dos governos federal, estadual e municipal infringe nos trabalhadores do serviço público

O Sindsep realizou a primeira reunião dos Representantes Sindicais de Unidade (RSU) de forma online durante a quarentena. O resultado foi positivo para a discussão dos representantes, mais de 100 RSUs marcaram presença e puderam dividir suas experiências nesse momento que vivemos.

Sergio Antiqueira abriu a análise de conjuntura falando sobre o governo federal e os ataques aos serviços públicos. Segundo Sergio, “precisamos marcar o posicionamento contrário a Bolsonaro, que se coloca como inimigo do servidor público”, lembrando também de Paulo Guedes que disse que colocou uma “granada no bolso do inimigo”, ao se referir a Lei Complementar 173/20, que congela os salários dos servidores até o final de 2021 e chamando os servidores de inimigos. Sergio também falou da situação da saúde no momento da pandemia, “não temos ministro da saúde e no meio desta pandemia Bolsonaro construiu que ela é apenas uma gripezinha.”

O economista e professor da Unicamp, Marcio Pochamnn, fez uma excelente análise falando da nova situação da classe trabalhadora, baseada no setor de serviços, não mais urbano-industrial. Para Marcio, “estamos diante de uma nova sociedade. Um outro sujeito social, que não aceita mais as instituições tradicionais da sociedade urbano-industrial”, como era nos anos 1980 e 1990, por exemplo. Pochmann ainda cobrou “falta para as instituições darem perspectivas de futuro diferentes.” (Confira aqui a análise de conjuntura na íntegra: https://www.facebook.com/sindsep/videos/1660982094055714)

Os representantes presentes puderam tirar dúvidas ao final e enriquecer no debate, além de trazerem as experiências das suas unidades de trabalho neste momento de quarentena e pandemia. O Sindsep reforçou a necessidade de continuar exigindo da Prefeitura a disponibilização de equipamentos de proteção e testes de Covid-19 para todos os trabalhadores, principalmente dos serviços essenciais e que lidam diretamente com o público.

Também, foi compartilhada a situação da educação, uma vez que Bruno Covas apresentou o plano de volta às aulas, de maneira irresponsável, já que os números de contaminados e mortos só cresce na cidade e no país.
Maciel Nascimento, secretário da Educação do Sindsep, lançou a Campanha Educação Não Volta, promovida pelo Sindsep, defendendo que as aulas não retornem neste momento que ainda vemos a curva de contaminados e mortos crescendo, é expor ainda mais tanto os trabalhadores, quanto a população mais vulnerável.


Mesmo em um momento de ataques a classe trabalhadora, sobretudo, nos serviços públicos – como no caso do congelamento de salários no âmbito nacional e na extinção das autarquias municipais em São Paulo – o Sindsep e os trabalhadores vem mostrando união na luta e o fortalecimento que essas discussões trazem para a organização dos trabalhadores.