Notícias

24 de Janeiro de 2018 - 10:01

Sem democracia não há serviço público de qualidade

Em defesa do direito de Lula ser candidato!

No próximo dia 24 de janeiro ocorre em Porto Alegre, pelo TRF-4, o julgamento em segunda instância do ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Essa questão deve despertar o maior interesse dos trabalhadores e trabalhadoras de todo o país, incluindo os servidores públicos municipais de São Paulo.

Não é só o destino de Lula que está em jogo, mas o da democracia no Brasil, essencial para que possamos lutar em defesa de cada direito que conquistamos ao longo de décadas e defender um serviço público de qualidade.

Lula foi condenado por Sérgio Moro, pelo caso do triplex, num processo sem provas, como atestam centenas de juristas e advogados de todo o país e do mundo. O TRF-4 pode agora prosseguir a farsa ou impedir que ela avance.

Dois grandes perigos decorrem desse processo. O primeiro é que se Lula é condenado sem provas, qualquer trabalhador poderá sofrer o mesmo sempre que ousar lutar em defesa dos seus direitos e afrontar os interesses dos “poderosos”. O segundo é que o objetivo do julgamento é desmoralizar todas as organizações populares, incluindo sindicatos e impedir que Lula seja candidato.

Preferido em todas as pesquisas de opinião, Lula afirma que vai REVOGAR medidas aprovadas pelos golpistas (Temer e o Congresso Nacional) que retiram direitos dos trabalhadores, atacam o serviço público e a soberania nacional. Entre essas medidas de Temer contra os trabalhadores estão a reforma trabalhista, a entrega do Pré Sal para multinacionais e o congelamento do investimento em educação, saúde e serviços públicos por 20 anos, que atentam frontalmente contra os serviços e os servidores públicos de todo o país.

Desde o início do golpe denunciamos que o objetivo não era simplesmente tirar Dilma Rousseff do poder, mas atacar os nossos direitos e conquistas. Isto tem ficado evidente a cada dia. Uma operação que segue agora com ameaça de condenar Lula. Mais uma vez o Sindsep convoca todos os trabalhadores, independentemente de suas opiniões partidárias, políticas e ideológicas, a defender a democracia, os direitos, o serviço público, e por isso mesmo, o direito de Lula ser candidato. O povo é quem deve decidir quem ele quer como presidente!