Notícias

25 de Maio de 2018 - 15:05

Seminário condições de trabalho dos agentes de endemias - Devolutiva do Mapeamento de Riscos

A atividade contou com a participação efetiva dos trabalhadores, que com base no resultado do questionário puderam debater as condições precárias em que realizam seu trabalho

O Sindsep realizou o Seminário Condições de Trabalho: devolutiva do mapeamento da exposição dos agentes de endemias e demais profissionais da vigilância aos riscos químicos, nesta quarta-feira, 23 de maio, no Centro de Formação 18 de Agosto.

O seminário é resultado da aplicação de questionários nas UVIS e no CCZ, para avaliar as condições de trabalho e as medidas de proteção à saúde dos trabalhadores, em especial em relação à exposição ao risco químico.

A abertura foi realizada pelo secretário geral do Sindsep, Antônio Carlos Lima, que realizou uma retrospectiva de todas as atividades que ocorreram, decorrente do prêmio Inovasus, que com este seminário chega na sua terceira etapa.

Antônio Carlos ainda convidou os Agentes de Endemias e assessores do Sindsep, que organizaram o questionário e participaram da sua aplicação nos locais de trabalho para que fossem até a frente, e recebessem uma salva de palmas pelo importante trabalho realizado, do começo ao fim de forma coletiva. Seus resultados foram construídos por várias mãos. Das UVIS participaram ativamente deste processo Daniel (Uvis São Miguel); Eloy (UVIS São Mateus); Erasmo (UVIS Itaim Paulista); Érika (UVIS Itaquera); Francisco (UVIS Parelheiros); Francisco (UVIS M’Boi Mirim); Laudicéia Reis (ACE UVIS M’Boi Mirim e diretora recém-eleita – região Sul 1); Lemuel (UVIS São Miguel); Luciane (ACE UVIS Casa Verde e diretora recém-eleita – região Noroeste); Márcio (UVIS Pinheiros) e Rafael (UVIS Pirituba)

 

 

Esse seminário é dos resultados do processo exitoso da mobilização e da luta pela conquista da carreira dos agentes de endemias, reconhecido pelo Prêmio InovaSUS, promovido   pelo Ministério da Saúde em parceria com a OPAS, e que está oferecendo a possibilidade de pesquisar as condições de trabalho e os riscos para a saúde do trabalhador. Declarou o secretário geral.

A assessora do Sindsep, Claudia Rejane de Lima, coordenadora técnica do projeto, realizou uma apresentação sobre os objetivos do mapeamento dos riscos, como também sobre o desenvolvimento do trabalho e como foram construídos os dois questionários aplicados em 25 das 27 UVIS do município de São Paulo, bem como o CCZ.

Vale destacar que as contribuições da Secretaria de Saúde do Trabalhador, cujo diretor responsável é o Roberto Alves, têm contribuído muito para os êxitos obtidos nesta caminhada

A psicóloga do Sindsep, Carolina Grando que foi uma das integrantes da equipe do projeto  e a assessora Secretaria  de Saúde do Trabalhador do Sindsep, Elionara Ribeiro, apresentaram uma parte dos resultados obtidos, de algumas questões como gestão em saúde e segurança no trabalho e sobre o descumprimento de parâmetros básicos de medidas para proteger a saúde dos trabalhadores  como por exemplo, Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, de responsabilidade do empregador, que somente uma das UVIS pesquisadas afirmou ter.

 

 

 

 

 

 

Lucianne Tahan, dirigente do Sindsep, apresentou outra parte do mapeamento, que tratava sobre o trabalho de campo, onde as condições de trabalho também deixam muito a desejar. O fornecimento de água potável para beber nas atividades de externas não é feito por quase a totalidade das UVIS (90,5%), tampouco é fornecida água para higienização no caso de acidentes com produtos químicos, conforme pode ser visto nos gráficos abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na parte da tarde, Eliane Novato, professora doutora da Universidade Federal de Minas Gerais, realizou uma palestra sobre a exposição aos riscos químicos e suas repercussões à saúde, dialogando com os dados do mapeamento da pesquisa.

Eliane falou sobre a exposição aos riscos químicos, fazendo um paralelo com a realidade dos trabalhadores rurais, que manuseiam o mesmo veneno utilizado pelos Agentes de Endemias, o Malathion, produto altamente tóxico que causa uma série de doenças graves, como câncer, problemas endócrinos e neurológicos e outras.

A palestrante apresentou vários agentes químicos e o que a exposição de cada um pode causar à saúde das pessoas que os manipulam, observando que os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) não asseguram uma proteção total dos trabalhadores.

Paula Leite, secretária de formação do Sindsep e coordenadora do Coletivo de Endemias do Sindicato, realizou o encerramento do seminário, indicando algumas ações para a continuidade do trabalho como, por exemplo, o estabelecimento de parcerias com as universidades para a realização de pesquisa; a articulação das lutas dos Agentes de Endemias com a luta pelo combate ao uso de agrotóxicos, a ampla divulgação dos riscos dos riscos químicos à saúde, o envolvimento de outros atores como o Ministério Público do Trabalho e outros.. 

A secretária ainda informou que será realizado dois cursos um sobre condições de trabalho e saúde e o outro sobre negociação coletiva com foco na saúde do trabalhador, concluindo as ações do projeto e estabelecendo mais um marco para a continuidade das lutas por melhores condições de trabalho. Informou, ainda, que os resultados detalhados da pesquisa serão publicados e amplamente divulgados em breve.

 

Confira a apresentação do questionário geral 

 

Confira apresentação Frente de Trabalho (atividade em campo)