Notícias

12 de Novembro de 2021 - 17:11

Servidora ferida na manifestação do dia 10 de outubro realiza boletim de ocorrência e expõe violência ordenada pelo presidente da Câmara dos Vereadores

Vereador Milton Leite, presidente da Câmara dos Vereadores deu ordem para violência da GCM e da PM contra aposentados e servidores que se manifestavam

Por Letícia Kutzke, do Sindsep
 
 
Servidores públicos em greve na última quarta-feira (10), estavam realizando mais um ato/assembleia em frente à Câmara Municipal, mesmo dia que o governo colocou em pauta a votação em segundo turno do PLO 07/21, conhecido como Sampaprev e que terminou com muita confusão e violência por parte do governo e aprovação do projeto com 37 votos favoráveis e 18 contrários.  
 
 
Com mais de 50 mil servidores pressionado os vereadores, o governo para conseguir aprovar o projeto tratou com truculência os trabalhadores, usando balas de borracha e bombas de gás por parte da GCM e da polícia militar, para dispersar a manifestação.  Essa violência resultou em várias pessoas feridas. Uma servidora precisou ser socorrida e levada para o hospital, após ter fraturado a perna em meio a confusão. 
 
 
 
No entanto, essa servidora não foi a única, entre os muitos feridos estava Adriana Cristina Eduardo, 45 anos, técnica em farmácia, há 9 anos no AE Ceci, presente na manifestação, que na tentativa de fugir das bombas de gás, jogas pela GCM, acabou sendo atingida por uma bala de borracha em sua perna direita. 
 
Foto do ferimento da servidora 
 
No dia seguinte, Adriana seguiu para o 1º DP, no Bairro da Liberdade, para fazer um boletim de ocorrência contra a violência sofrida. Depois foi encaminhada para o IML para a realização do corpo de delito, acompanhada por advogado do Sindsep. 
 
 
Segundo a servidora, sua atitude em abrir um boletim foi para que quem foi atingida pela polícia e GCM, foi uma servidora, e não um bandido ou vagabundo, como falaram dentro do plenário, no dia da votação, os vereadores Rubinho Nunes (PSL) e Fernando Holiday (NOVO).
 
 
“Só pelo fato de eu ter feito o boletim, de ter apontado que eu fui ferida já foi suficiente para mostrar que quem foi ferido não foi quem o Holiday falou”. 
 
 Marca da bala de borracha na calça da servidora 
 
 
Sindsep se coloca à disposição dos servidores feridos na manifestação
 
Informamos que qualquer servidor ou servidora que se feriu durante o ato de truculência por parte do governo, pode procurar o Sindsep para orientação e assistência jurídica. 
 
 
O Sindsep também irá denunciar em todas as esferas a violência empregada contra os trabalhadores e trabalhadoras que estavam defendendo seus direitos.