Notícias

23 de Outubro de 2008 - 00:10

28 de outubro, Dia do Funcionário Público: o que comemorar?

Nesta quinta-feira, dia 23 de outubro, servidores aposentados se reuniram no Sindsep para protestar. Ontem, 22, os AGPPs, ASTs e ATAs manifestaram-se em frente ao Gabinete do Prefeito, seguindo em passeata até a Secretaria Municipal de Gestão, SMG. Foram atos antecipados ao “Dia do Funcionário Público”, lembrado por todos nós, no próximo dia 28 de outubro. Sim, somente “lembrado”, porque se alguém tem alguma coisa a comemorar que nos avise.

Tanto hoje, como daqui há cinco dias, os mais de 190 mil servidores públicos da capital só têm uma certeza; o pouco que conquistamos nesses últimos quatro anos foi fruto de muita luta, esforço pessoal, e muita garra e disposição coletivas. Os companheiros e companheiras sabem o quanto o Sindsep vem se empenhando para garantir que os direitos dos servidores não sejam atacados e o quanto fez para que nenhum desses direitos fossem retirados.

Foi uma luta árdua para fazer funcionar as Mesas de Negociação, que se já não funcionavam como deviam, nos últimos meses, o Prefeito, simplesmente, suspendeu quase todas, descumprindo a legislação. A atual administração passou a governar por decretos e quando enviou Projetos de Lei à Câmara, ignorou por completo as sugestões dos sindicatos.

Por falar em descumprir acordos, o Sindsep não mediu esforços para fazer com que o Prefeito cumprisse os acordos que fez, desde que assumiu, com a categoria. O Sindicato lutou desbragadamente para incluir os aposentados nesses acordos (principalmente o Abono de Natal e o Especial); para que a Prefeitura pagasse o vale-refeição atrasado desde a época do Pitta, que pagasse os 2,85% do quadrimestre de 97 determinado pelo TCM, que não deixasse de fora os servidores do HSPM, que melhorasse e solucionasse as falhas detectadas nos planos de cargos, carreiras e salários apresentados; que houvesse negociações sobre reajustes salariais decentes pondo fim à política discriminatória de “gratificações”. E, por fim, que a Prefeitura parasse de entregar o patrimônio público, principalmente da Saúde e da Educação, à iniciativa privada, através das terceirizações e das OSs.

Independentemente de saber quem estará, a partir de segunda-feira e pelos próximos quatro anos, sentado na cadeira de Prefeito, o servidor público tem a consciência tranqüila, apesar da situação vexatória e indecente na qual fomos obrigados a nos submeter, nesses últimos anos.

A consciência tranqüila é prova de que nós, sim, estamos cumprindo com as obrigações; atendendo a população na medida do possível, o que nos orgulha muito, e tentando fazer dessa cidade um local digno de se viver. Os colegas AGPPs, ASTs e ATAs ao final do ato do dia 22 tiraram de trabalhar no dia 28 com uma tarja preta no braço em sinal de protesto, de luto pela situação salarial da categoria.

Apesar dos pesares, que todos possam lembrar com respeito e carinho do Dia do Servidor Público.

Diretoria do Sindsep