Notícias

02 de Maio de 2011 - 00:05

Funcionário da Prefeitura Municipal de São Paulo

Você está satisfeito com o reajuste de 0,01%?

Você aceita aumentos de R$ 0,08 para o NB, R$ 0,16 para o NM e R$ 0,36
para o NS?

Você aceitou ficar excluído da GA de 50% para o NB e NM em 2011 e 70% em 2012?

Você aceitou ficar sem as férias coletivas no CEIs?

Você aceita o assédio moral que ocorre com frequência em seu local de trabalho?

Você aceita ser discriminado pelas OSs e receber menos que os contratados por essa organização?

Você aceitou ser excluído da GA e da GDA?

Você aposentado aceita ser desrespeitado em seus direitos?



O Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo (Sindsep) está convocando você, servidor, a cruzar os braços no próximo dia 25 de maio para protestar contra o aumento irrisório de 0,01% que tem sido aplicado pela Prefeitura de São Paulo nos últimos anos e contra as péssimas condições de trabalho a que está submetido o funcionalismo.

Apesar de toda luta de trabalhadores e sindicato, a Câmara Municipal aprovou, no dia 23 de março, o Projeto de Lei 339/2010, do Executivo, que trata da Gratificação de Atividade e do reajuste de 0,01%. O PL foi encampado pela tropa de choque da base de apoio de Kassab.

A votação terminou com 38 votos a favor do projeto do governo e 14 contra. Ou seja, as propostas – feitas através de substitutivos e emendas apresentadas pelo Sindsep que visavam minimizar a perda salarial – foram derrotadas apesar das justificativas comprovadas perante estudo que demonstrou a possibilidade de reajuste sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Vale destacar que o orçamento da Prefeitura para este ano é de R$ 35 bilhões e destes, apenas 31% serão destinados às despesas com funcionários, apesar de a LRF prever um gasto de até 60%, o que demonstra que há margem para o reajuste.

Na educação, o Tribunal de Justiça acabou com as férias coletivas. Para o Sindsep, o governo deve recorrer da decisão para garantir as férias coletivas, um direito do trabalhador da educação e da criança.

Na saúde, o governo continua atacando com as Organizações Sociais (OSs), desrespeitando os servidores e a própria população. Além disso, só começou a pagar agora o Prêmio de Produtividade e Desempenho, não cumprindo o acordo assinado com o Sindsep que previa o pagamento a partir de maio de 2009. Na autarquia hospitalar, o plano de carreiras prometido há três anos até hoje não saiu do papel. Já no HSPM, o reajuste de 2,14% não resolve a questão salarial dos funcionários.

Também sobram maus exemplos nas subprefeituras, onde os funcionários sofrem todo tipo de ameaças, pressões e não cumprimentos de seus direitos. Nas demais secretarias, a situação complicada dos servidores não é diferente.

É por isso que o Sindsep convoca todos os servidores públicos da cidade de São Paulo a paralisarem suas atividades e participarem das mobilizações do dia 25 de maio.