Notícias

24 de Março de 2008 - 00:03

Sindsep fecha acordo sobre PCCS da Saúde, mas com ressalvas

O Sindsep assinou, na última sexta-feira, dia 20, o protocolo sobre o PCCS da Saúde apresentado pelo governo. A reunião, que durou três horas e meia, aconteceu na Secretaria Municipal de Gestão. No entanto, apesar de ter assinado, o Sindsep fez ressalvas à proposta, conforme decisão da assembléia dos trabalhadores da Saúde realizada horas antes, na sede do Sindsep.



A direção não aceita, por exemplo, a exclusão dos profissionais que não fazem parte do quadro do QPS das gratificações; os chamados cargos largos, as diferenças de percentuais de reajustes (25% para o Nível Superior e 40% para os médicos, além de 100% do PPD para os médicos e 30% para os demais). Além, é claro, da defesa do PCCS do SUS.



Agora, o protocolo será transformado em Projeto de Lei que dará entrada na Câmara Municipal. Nesta quarta-feira, dia 26, haverá audiência pública, a partir das 11 horas. O Sindsep avalia que, pela urgência que o governo vem tratando esse assunto, é bem possível que a leitura e a primeira votação do Projeto de Lei seja feita na própria quarta-feira. A segundo e derradeira votação pode acontecer até sexta-feira ou no início da semana que vem.



A presença dos servidores nas galerias da Câmara será de fundamental importância para pressionar os vereadores a fazerem modificações que resultem em melhoras aos trabalhadores.



A proposta final



Embora o governo Kassab tente fazer propaganda para si (não por acaso, em ano de eleição municipal) o fato é que não fosse a pressão dos servidores, após assembléia do dia 19 de março, às 14 horas e persistência do Sindsep numa rodada de nogociação, às 16:30 horas na SMG, os trabalhadores que não pertencem ao QPS, mas que prestam serviços na Saúde, não seriam incluídos na proposta de PCCS.