Saúde do Trabalhador

03 de Setembro de 2021 - 16:09

Secretária de Políticas em Saúde do Trabalhador realizou seminário com a temática Covid-19

A Secretaria de Políticas em Saúde do Trabalhador do Sindsep, realizou nos dias 31 de agosto e 01 de setembro, o Seminário “Covid-19: impactos na saúde e vida das trabalhadoras e trabalhadores”, no qual foi central a temática dos impactos da Covid-19 sobre a saúde e cotidiano dos servidores municipais, bem como a importância de se reconhecer como doença relacionada ao trabalho para aqueles que atuaram presencialmente.

 

O Seminário contou com a participação de trabalhadores dos mais diversos setores da Prefeitura, bem como de outros estados e municípios. A abertura do seminário contou com o diretor da Secretaria de Saúde do Trabalhador do Sindsep, Roberto Silva, do presidente, Sérgio Antiqueira e Madalena Margarida da Silva, Secretária de Saúde do Trabalhador da CUT Nacional.

 

A mesa destacou a importância de se enfrentar os ataques que os servidores públicos têm sofrido, bem como o descaso das diversas esferas do governo no enfrentamento à pandemia, com destaque à postura genocida de Jair Bolsonaro.

 

Em seguida foi a vez dos médicos, Eder Gatti e Regis Goulart Rosa, falarem sobre as sequelas da Covid-19 e a “Síndrome Pós-Covid-19”, em que apresentaram o preocupante cenário trazido pela pandemia e os motivos pelos quais a celebração irresponsável do número de supostos recuperados apaga as necessidades de reabilitação e acompanhamento dessas pessoas.

 Como também, as consequências cotidianas, de saúde e econômicas que pessoas contaminadas podem enfrentar mesmo em casos leves, enfatizando a importância de políticas públicas que contemplem o novo cenário que se desenha para 2022. 

 

Após a apresentação e debate, a segunda mesa temática do dia teve como enfoque a saúde mental dos trabalhadores e os efeitos da Covid-19 sobre ela, com destaque para os temas do luto e também do teletrabalho, uma novidade na vida de muitos servidores.

 

O psicólogo Thiago R.P.de Lira, abordou de forma atenciosa as diversas maneiras em que lidar com as perdas na vida tem se dificultado na pandemia, enfatizando a importância de se respeitar os próprios tempos e processos de luto, sem deixar de buscar ajuda quando necessário.

 

A professora Eliana Pintor refletiu sobre o impacto do teletrabalho, apontando as diversas maneiras em que nossas vidas afetivas e familiares podem ser alteradas e prejudicadas quando o trabalho passa a ocupar o espaço de nossos lares. A psicóloga defendeu a importância de se defender o lar como espaço de espontaneidade e de observar o direito dos trabalhadores à desconexão e ao descanso.

 

No segundo dia de seminário, foi debatido sobre a importância do reconhecimento do nexo da Covid-19 como doença do trabalho na promoção da saúde e dos direitos daqueles que trabalharam presencialmente.

A Advogada Luciana Barreto, apresentou elementos legais que salientam a responsabilidade do empregador, além de caminhos possíveis para este reconhecimento, alertando para a importância dos trabalhadores solicitarem a CAT- Comunicação de Acidente de Trabalho.

 

Já a médica Drª. Maria Maeno, apontou a importância de se considerar a maneira com a qual a Covid-19 se propaga ao se discutir a exposição, apontando os métodos muitas vezes insuficientes ou precários de proteção, fornecidos por empregadores e os riscos aos quais os trabalhadores têm sido submetidos nas atividades presenciais.

 

Para finalizar o seminário foi abordado a importância da voz dos trabalhadores e trabalhadoras ao se discutir a temática da Covid-19, onde foi apresentada para os presentes a pesquisa “Dossiê Covid-19 como doença relacionada ao trabalho”.

 

 A pesquisa foi desenvolvida por uma equipe de 27 pesquisadores, apoiada pela faculdade de medicina da UNESP e contando com o incentivo do Ministério Público do Trabalho. A pesquisa pretende demonstrar como a Covid-19 atingiu as mais diversas categorias de trabalhadores que atuaram presencialmente, observando condições de trabalho e exposição.

 

A professora e socióloga Luci Praun falou do objeto da pesquisa e como ela tem se desenvolvido desde seu início. Enfatizou, ainda, os resultados preliminares da pesquisa qualitativa sobre os trabalhadores do Serviço Funerário, que tem sido desenvolvida em parceria com o Sindsep. 

 

Já o pesquisador Cezar Akiyoshi Saito apresentou os resultados parciais da pesquisa quantitativa, ressaltando a importância da construção dos dados estatísticos que possam fornecer base para políticas públicas, partindo da ótica e conhecimento dos trabalhadores.

 

 As apresentações estarão disponíveis em breve no site: www.escolasindsep.com.br