Saúde do Trabalhador

09 de Fevereiro de 2021 - 17:02

Sindsep constata condições insalubres no SAS Vila Mariana

Prédio, que concentra vários serviços, não segue normas sanitárias adequadas e já registrou vários casos de doentes, incluindo a coordenadora do NPJ, internada na UTI em decorrência da Covid-19.

Em visita às unidades da Assistência Social, dirigentes do Sindsep estiveram nesta terça-feira (9/02) verificando as condições sanitárias de serviços e constataram uma série de problemas no prédio onde funciona a Supervisão de Assistência Social (SAS) Vila Mariana. 
 
O Sindsep vem recebendo denúncias sobre condições insalubres para os profissionais desta unidade, onde há trabalhadores afastados por Covid-19, incluindo a coordenadora do Núcleo de Proteção Jurídico Social e Apoio Psicológico (NPJ) internada em estado grave na UTI. Nenhum deles foi testado até o momento.
 
Diante disso, a coordenadora da Região Sudeste do Sindsep, Luba Melo, acompanhada da técnica em Saúde do Trabalhador, Elionara, visitou a Supervisão de Assistência Social (SAS) Vila Mariana para conhecer o local. Lá estão sediados, além do SAS, o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), o Núcleo de Proteção Jurídico Social e Apoio Psicológico (NPJ), o Espaço Público do Aprender Social (Espaso) e o Núcleo de Política da Assistência Social (Nepas).
 
De acordo com a dirigente sindical, circulam diariamente no prédio mais de 100 pessoas. No 1º andar, que mais se assemelha a um porão, fica a Coordenação de Pronto Atendimento Social (CPAS), com inúmeras salas, porém uma única destinada a dezenas de orientadores sociais que fazem a abordagem à população em situação de rua, o Centro de Referência em Assistência Social (Cras), Creas e NPJ. A circulação de pessoas sem máscara parece já ter se naturalizado. Refeitórios e banheiros também estão desproporcionais a quantidade de pessoas que utiliza o prédio.
 
Servidoras trabalham amontoadas em sala praticamente sem ventilação.| Foto: Luba Melo
 
 
No Creas, as quatro assistentes sociais têm que trabalhar amontoadas em uma sala de 7m x 6m, praticamente sem ventilação. “Há uma pequena janela com um palmo aberto para a entrada de ar. Inviável”, esclarece a sindicalista.
 
Na área superior do prédio, onde se localiza o Espaço Público do Aprender Social (Espaso), há salas para capacitação mais arejadas e iluminadas, no entanto por não estar acontecendo formações presencialmente se encontram inutilizadas. 
 
 
Sala de formação sem uso
 
Copa desproporcional em tamanho à quantidade de trabalhadores
 
Em diálogo sobre os riscos que a unidade pode trazer à saúde dos trabalhadores, pelas condições insalubres constatadas, a supervisora do SAS afirmou às representantes do Sindsep que há uma busca por novo imóvel desde julho do ano passado, foram encontrados alguns, mas a burocracia imposta pela administração municipal tem impossibilitado a locação dos serviços para outro imóvel.
 
De acordo com a dirigente do Sindsep, apesar de relatório informando nove casos de Covid, no ano passado, na Assistência Social, não há dúvidas de que o número é bem superior. 
 
No ano passado, o Sindsep já havia participado de uma mesa de negociação onde foi apresentada a situação do SAS Vila Mariana, além da reivindicação de transferência para outro imóvel, porém nenhuma providência foi adotada pela Prefeitura de São Paulo, expondo seus trabalhadores/as e atendidos/as ao risco da Covid-19.
 
Como está sua unidade de trabalho?
 
E sua unidade como está? Está respeitando as normas sanitárias de combate ao covid19? Caso esteja ocorrendo situação semelhante ao que o Sindsep está te relatando, denuncie pra gente pelo whatsapp oficial: (11) 97025-5497