Saúde

04 de Março de 2021 - 15:03

Após denúncia do Sindsep, direção do Tide Setúbal retira pacientes com Covid da maternidade

Estava cruzando fluxo entre os pacientes da Maternidade e da Covid

Por Cecília Figueiredo, do Sindsep


 

Menos de quatro horas após publicarmos a denúncia do Hospital Municipal Tide Setúbal, em São Miguel, que estava internando pacientes com Covid, na noite de quarta (3), dentro da maternidade, a direção do hospital iniciou uma retirada dos doentes da ala.
 
A retirada dos pacientes confirmados de Covid-19 começou por volta das 14h30. "Estava cruzando fluxo entre os pacientes da Maternidade e da Covid. Acho que devido às denúncias e manifestação tomaram essa atitude de retirar os pacientes", avalia um trabalhador.
 
Relatos da população e trabalhadores, nesta manhã, continham revolta e indignação. “Qual a imunidade que tem um bebê que acabou de nascer para o coronavírus?”, question um profissional.
 
Ontem à noite havia 22 gestantes na maternidade, 116 leitos ocupados por pacientes de coronavírus no hospital referência para Covid e número insuficiente de trabalhadores para dar conta da pressão na demanda. Trabalhadores da Pediatria e UTI Neonatal foram transferidos para receber os casos de covid que estavam sendo acolhidos no alojamento conjunto da maternidade. A noite passada havia 9 pacientes com Covid na área da maternidade, separados apenas por um biombo.
 
Uma nova UTI, onde funcionava anteriormente a Enfermaria de Saúde Mental do Tide Setúbal, foi aberta às 16h e às 18h já estava com os 10 leitos ocupados, segundo relatos de funcionários. 
 
O aumento de casos na rede pública é tão grave, que ontem se discutia o fechamento do centro obstétrico e a maternidade do Tide Setúbal. Embora, outros funcionários acreditem que o fechamento da maternidade está nos planos do processo de terceirização do hospital. 
 
Onze pessoas morreram por covid no Hospital Tide Setúbal, na última quarta-feira e duas crianças com 13 anos já foram internadas na unidade. Uma delas intubada.