Saúde

30 de Julho de 2021 - 08:07

Após pressão, direção do Hospital João XXIII admite retomar atendimento a partir de agosto

Esta é a previsão informada pela direção do HMIPG em documento encaminhado a parlamentar paulistano.

Após o protesto do Sindsep, com trabalhadores e comunidade usuária do Hospital Municipal Ignácio Proença de Gouveia (HMIPG), além de uma representação do sindicato junto ao Ministério Público do Estado de São Paulo questionando a proposta de implantação do Hospital Geral Amigo do Idoso e Gestante no HMIPG, o médico Cândido Vaccareza, diretor clínico da unidade na Mooca, negou que o serviço será fechado.
 
 
 
O próprio diretor havia anunciado dias atrás sua proposta, em redes sociais, de implantar no HMIPG um hospital do Idoso e Gestante, portanto de portas fechadas, onde o atendimento é realizado por encaminhamento de vaga regulada, mas no esclarecimento que fez ao MP, Vaccareza classificou como “infundada informação de fechamento da Unidade”.
 
No documento encaminhado ao MPSP (leia aqui na página 4), Vaccareza afirmou também que “não se concebe a diminuição de equipamentos destinados aos cuidados e assistência à saúde da população, mas sim seu incremento, sendo certo que toda e qualquer sugestão, é sempre no sentido de aumento dos serviços ofertados, nunca sua mitigação, incluindo-se a atenção à população idosa e gestante pelo HMIPG”.
 
Cabe lembrar que o papel de um hospital geral é o de atendimento de livre demanda, portanto sem regulação e para todos os públicos, sem exceção.
 
A direção do HMIPG antecipou também, por meio de documento enviado a um vereador paulistano, que provavelmente no início de agosto o Hospital Municipal Ignácio Proença de Gouveia retomará o atendimento como hospital geral, “voltando a beneficiar a população da Mooca e bairros adjacentes”.