Saúde

17 de Agosto de 2022 - 16:08

Assembleia no CAPS Perdizes comemora vitórias conquistadas com luta para a unidade

O movimento Caps Perdizes pede Socorro, realizou nesta quarta-feira (17), uma nova assembleia, com a participação do Sindsep, trabalhadores, usuários, membros do Conselho Gestor, representante do Conselho Municipal de Saúde e representantes de mandatos parlamentares, após reunião que ocorreu entre a Coordenação e a Supervisão Regional de Saúde para dar retorno as reivindicações.

 

Alimentação garantida

 

Após quatro meses sem empresa prestando serviços de alimentação, desde o dia 1º de agosto, os pacientes do CAPS Perdizes estão com seu direito sendo atendido. A unidade estava sem esse serviço e os trabalhadores, entre eles médicos e enfermeiros, estavam realizando vaquinhas e cozinhando eles mesmos o alimento para servir aos pacientes e garantir alimentação digna. Após a pressão do movimento uma licitação foi aberta e agora uma empresa está realizando o serviço, com contrato de 5 anos. Vitória importante da luta, porque alimentação digna é parte fundamental do atendimento realizado pelo CAPS.

 

A Reforma do CAPS está prometida

 

Visitas técnicas no CAPS foram feitas pela Coordenadoria Regional de Saúde Oeste, acompanhada da equipe de engenharia da Secretaria Municipal de Saúde e representantes da empresa que deve realizar a reforma, num custo estimado entre 2 e 3 milhões de Reias.

 

Após a assinatura do contrato com a Construtora, a mesma terá dois meses para iniciar as obras. No entanto, a estimativa é que se faça a reforma em partes para que seja garantido a continuidade dos serviços prestados aos pacientes, como também está se pensando em parcerias com equipamentos da atenção psicossocial da região. Conselho gestor, trabalhadores e pacientes se comprometem a ficar de olho, cobrar a assinatura do projeto, o cumprimento dos prazos estabelecidos e a realização de uma reforma que honre a história do CAPS Perdizes.

 

Ambas as vitórias são fundamentais não só para a realidade cotidiana do CAPS, mas como exemplo e esperança para quem luta em defesa do SUS público. Quando trabalhadores/as, usuários/as e familiares se articulam, ocupam os espaços como o Conselho Gestor e atuam de maneira articulada com o Sindicato e o Conselho Municipal de Saúde é possível defender a saúde pública e o direito dos pacientes. A união faz a força e a luta muda a vida!