Saúde

06 de Abril de 2021 - 14:04

Mobilização Dia Mundial da Saúde

Sindsep e outras organizações sindicais e sociais realizam atos simultâneos nesta quarta (7/4), em protesto ao descontrole da pandemia e por comida, auxílio emergencial, isolamento social, vacina já para todos e pelo Fora Bolsonaro.

Em celebração à Semana Mundial da Saúde, que tem no 7 de abril seu Dia Mundial, o Sindsep, junto com a CUT, organizações sindicais e movimentos sociais, realizará vários atos simbólicos simultâneos programados para às 11h, na Capital paulista, em protesto aos mais de 13 milhões de casos de Covid, cerca de 335 mil mortes no Brasil que registrou na última segunda (5) uma média móvel de 2.698 mortes, num período de sete dias.
 
“Estamos em luto e em luta por comida, auxílio emergencial, isolamento social, vacina já para todos e pelo Fora Bolsonaro”, reforça Lourdes Estêvão, secretária de Trabalhadores da Saúde do Sindsep, sobre as bandeiras de luta na Semana Mundial da Saúde.
 
Esse é o recado que será levado, nesta quarta (7/4), às 11h, para os atos que acontecem em vários pontos da Capital:
 
7/04, 11h, em frente à Prefeitura de São Paulo | Viaduto do Chá, 15 – Centro
 
 
7/04, 11h, no Hospital do Servidor Público Municipal | Rua Castro Alves, 60 – Aclimação
 
 
7/04, 11h, no Hospital Municipal Waldomiro de Paula (Itaquera) | Rua Augusto Carlos Bauman, 1074 – Itaquera
 
 
7/04, 11h, no Hospital Municipal do Campo Limpo | Estrada de Itapecerica, 1661 - Vila Maracanã
 
 
7/04, 11h, na UBS Vila Zatt | Rua Monsenhor Manoel Gomes, 654 - Vila Zatt
 
 
7/04, 11h, no Hospital Municipal de Pirituba | Avenida Menotti Laudísio, 100 - Jardim Cidade Pirituba
 
 
7/04, 11h, no Hospital Municipal Dr. Ignácio Proença de Gouvêa | Rua Juventus, 562 – Mooca
 
 
A direção do Sindsep, que está na organização dos atos simbólicos presenciais e mobilizações nas redes sociais, reforça a defesa do SUS 100% público, universal, gratuito, em favor da imediata revogação da Emenda Constitucional 95, que congela os gatos da saúde até 2036, além de reivindicar a imediata destinação dos R$ 5,2 bilhões de superávit feito pela Prefeitura de São Paulo em 2020 para o combate à pandemia e à proteção dos trabalhadores e da população.
 
 
O Sindsep defende que os recursos sejam utilizados em:
 
  • Produção e compra de vacinas para imunizar toda a população da cidade de São Paulo;
 
  • Priorização de vacinação de servidores e trabalhadores que estão em serviço essencial presencial.

 

  • Compra de kits sorológicos e rápidos para a testagem em massa.

 

  • Medidas de distanciamento e isolamento social enquanto não houver controle da pandemia.

 

  • Aumento no valor do auxílio emergencial para a população paulistana vulnerável enquanto durarem as medidas de isolamento e distanciamento social.

 

  • Suspensão de todas as atividades presenciais nas escolas públicas, com realização de trabalho remoto emergencial enquanto a pandemia não estiver sob controle (queda significativa por 5 semanas dos indices de contaminação, ocupação dos leitos e óbitos na cidade) e a viabilizaão vacinação em massa de toda comunidade escolar.

 

  • Garantia de EPIs adequados, de qualidade comprovada e em quantidade suficiente para todos os trabalhadores em serviços presenciais e essenciais. 

 

  • Folgas de descompressão para os trabalhadores que estão na linha de frente da Covid-19 há quase um ano sem direito a férias e folgas.