Saúde

19 de Março de 2020 - 13:03

Painéis de energia e O2 dos leitos de internação do Hospital Alípio Correa Neto não funcionam

Servidores que trabalham no Hospital Municipal Professor Doutor Alípio Correa Neto denunciaram a troca de réguas de O2 vácuo, com tomadas que não funcionam em leitos da internação, no 5º andar. Na prática, a régua ou painel elétrico e para gases, é um sistema que permite agregar próximo ao leito do paciente oxigênio, por exemplo, tomadas e outros aparelhos necessários para a realização dos procedimentos vitais para o devido tratamento do internado. 
 
 
O hospital, em Ermelino Matarazzo, zona Leste, conta ao todo com 250 leitos SUS, entre cirúrgico, clínico, obstétrico, pediátrico e de psiquiatria, de acordo com o Cadastro Nacional de Estabelecimentos Sociais (CNES). Deste total, 6 leitos são destinados a isolamento e 10 de UTI adulto.
 
Agora, imaginem, em plena pandemia de coronavírus, quando o Brasil tem a pior proporção de leitos por habitante, 1 para cada 10 mil, os que estiverem ativos estão apresentando deficiências como essa na estrutura para a garantia de tratamento a quem precisa....
 
O agente classifica a troca como “quebra galho” da gestão e acrescenta que esse não é o único exemplo da falta de estrutura para os servidores. “Profissionais estão sobrecarregados, os plantões-extras com redução”, aponta o servidor como alguns dos problemas.
 
OUTRA DENÚNCIA
 
Minutos depois de publicarmos a denúncia sobre o problema nos leitos do 5º andar do Hospital Alípio Correa Neto, recebemos novas reclamações de servidores.

Um deles, que pede para não ser identificado por medo de represália, informa que a chefia comunicou sem justificar os motivos que os trabalhadores que atuam na UTI Pediátrica terão de descer para outro andar. O servidor reclama problemas respiratórios e que não foi dispensada.