Saúde

15 de Outubro de 2014 - 18:10

PL da Saúde vai à Câmara Municipal de São Paulo

Esse foi mais um passo rumo a um Plano de Carreira que promova salário e condições de trabalho descentes aos trabalhadores da saúde, agora temos que permanecer mobilizados e vigilantes para que os pontos de interesses dos trabalhadores ainda em negociação sejam aceitos e aprovados pelo governo e pela Câmara.

Presidente do Sindsep assina Protocolo de Negociação da Saúde

Presidente do Sindsep, Sergio Antiqueira assina Protocolo de Negociação da Saúde

 

Após meses de lutas, mobilizações e negociações, a Minuta de PL que trata da criação do novo Quadro da Saúde do Município de São Paulo será encaminhada à Câmara Municipal de São Paulo ainda esta semana.

O envio foi acordado entre o Governo Municipal e a Bancada de Entidades Representativas dos Servidores da Saúde (com o protagonismo do Sindsep) por meio da assinatura de um Protocolo de Negociação. Tal documento estabelece as trativas, os pontos de interesse dos trabalhadores que permanecem em negociação durante a tramitação do PL da Saúde na Câmara, bem como as negativas do governo e as questões que serão negociadas após a aprovação do PL da Saúde (como revisão da lei salarial nº 13.303/2002).

Para ter acesso ao Protocolo de negociação entre a Prefeitura do Município de São Paulo e as Entidades Representativas dos Servidores da Saúde do Município de São Paulo (assinado), clique aqui.

No início de tarde da quarta-feira (15 de outubro), os servidores que estiveram presentes no ato na Câmara Municipal puderam participar da audiência pública com a Comissão de Saúde, Promoção Social, Trabalho e Mulher. Em tal audiência foi lido o protocolo e avisado para os vereadores integrantes de tal comissão (Ricardo Young, Patrícia Bezerra, Alfredinho, Noemi Nonato e Gilberto Natalini) que há pontos de interesses dos trabalhadores que queremos que sejam aprovados em um PL Substitutivo pelos vereadores (os pontos da cláusula terceira do Protocolo de Negociação). Também pedimos para que o PL seja apreciado e votado em regime de urgência.

Esse foi mais um passo rumo a um Plano de Carreira que promova salário e condições de trabalho descentes aos trabalhadores da saúde, agora temos que permanecer mobilizados e vigilantes para que os pontos de interesses dos trabalhadores ainda em negociação sejam aceitos e aprovados pelo governo e pela Câmara.