Saúde

06 de Agosto de 2020 - 18:08

Prefeito Bruno Covas foge de protesto contra a terceirização do Hospital Campo Limpo

Dirigentes do Sindsep, trabalhadores e usuários do Hospital Municipal do Campo Limpo, foram dar o recado ao prefeito Bruno Covas e ao secretário de Saúde, Edson Aparecido, na porta do Caps AD São Luiz, inaugurado nesta quinta (6).

Dirigentes do Sindsep, trabalhadores e usuários do Hospital Municipal do Campo Limpo, além de representantes de movimentos de saúde locais e de M´Boi Mirim foram dar um recado ‘face to face’ ao prefeito Bruno Covas e ao secretário de Saúde, Edson Aparecido, de que não aceitam a terceirização do hospital público regional.
 
Os manifestantes se posicionaram bem cedo, com faixas, cartazes e magafone, em frente ao Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD) São Luiz, para receber o prefeito que esteve nesta manhã inaugurando o equipamento de saúde mental. 
 
Lourdes Estêvão, secretária dos Trabalhadores da Saúde do Sindsep, resgatou o valor que tem a unidade hospitalar para a região, no atendimento de ortopedia, partos de alto risco e saúde mental.
 
Nas imagens da transmissão ao vivo feitas pelo Sindsep, comitiva e secretário de Saúde preocupados, com o ato pacífico, se mantiveram dentro do Caps AD, mas puderam ouvir os recados de trabalhadores e usuários: “Não à terceirização do Hospital do Campo Limpo” e “Hospital do Campo Limpo é nosso, ninguém tira da gente”.
 
Laudiceia Reis, dirigente do Sindsep salientou que a população não será utilizada como cobaia de residentes do Hospital Albert Einstein, organização social para a qual o prefeito Bruno Covas quer entregar, à revelia do controle social, o HM Campo Limpo.
 
Nem mesmo os apelos dos trabalhadores por respeito e para que o governo dialogue com trabalhadores e usuários, houve abertura da gestão. O prefeito fugiu dos manifestantes, em ato pacífico, pelos fundos da unidade em um Corolla preto.