Saúde

21 de Junho de 2022 - 13:06

Sindicato se reúne com direção do Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro de Saboya

Dirigentes do Sindsep levaram reivindicações das trabalhadoras e trabalhadores da unidade, na agenda realizada no último dia 14

Por Alexandre Linares, do Sindsep
 
 
 
A reunião realizada, no último dia 14 de junho, foi entre a direção do Sindsep, representada por Maria Mota, coordenadora da Região Sudeste, Flávia Anunciação, secretária de Trabalhadoras/es da Saúde, e Luba Melo, vice-presidenta, e a direção do Hospital Municipal Dr. Arthur Ribeiro de Saboya, a diretora técnica Josiane Motta e Motta, com a participação de profissionais do RH, mediação de conflito e chefias imediatas. 
 
Na ocasião, o sindicato abordou temas como a diminuição do diálogo e autoritarismo das chefias sobre os trabalhadores, instalação de câmeras na unidade, realocação dos profissionais auxiliares de enfermagem e sala de descompressão para equipe. Publicamos abaixo um relato sobre os pontos discutidos: 
 
 
Absenteísmo: 
 
A direção do Hospital aponta taxa crescente de absenteísmo e adoecimento mental e declara que todas as semanas, às quartas-feiras, a agenda da diretora técnica é disponibilizada para o atendimento dos profissionais que buscam por estes agendamentos, atendimento no setor de mediação de conflito e reuniões de equipe.
 
O Sindsep avalia que a taxa de absenteísmo é um alerta significativo a ser analisado, para buscar estratégias que possam reduzir o problema. A situação atual indica questões importantes como o adoecimento mental e físico. Neste sentido, propôs a realização de roda de conversa, com a psicóloga da Saúde do Trabalhador do Sindsep. A gestão do Hospital Municipal Saboya recusou a proposta ao declarar que no momento não se faz necessário. 
 
 
Profissionais de enfermagem:
 
Com relação à realocação de profissionais, a direção justifica que a realização foi em cumprimento a uma determinação judicial em razão de denúncia no Ministério do Trabalho. Acrescentam que o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-SP) exige técnicos em enfermagem nas áreas críticas, fazendo que o número de profissionais não seja o suficiente para cobrir todos os setores. Isso resultou na implantação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulta, com servidores e profissionais da organização social da saúde (OSS) SPDM. 
 
O Sindicato se posiciona contra toda forma de terceirização e reafirma a necessidade concursos para reposicionamento do quadro de servidores. Também encaminhará discussão junto ao Coren-SP, para debater e agir conjuntamente pelas condições de trabalho dos técnicos de enfermagem. 
 
Câmeras de segurança:
 
Sobre a instalação das câmeras no hospital, a diretora técnica apontou que se trata de medida de segurança e que serão instaladas nos corredores, pátios e enfermaria psiquiátrica, em razão de já terem vivenciado situações de tentativas de suicídio. 
 
A posição do Sindsep é que câmeras de circuito interno de segurança não podem ser utilizadas em espaços nos quais exponha a intimidade de pacientes e trabalhadoras/es. Portanto, o sindicato fiscalizará que os equipamentos sejam instalados conforme legislação vigente, de proteção dos direitos de imagens das/os trabalhadoras/es e pacientes. 
 
Melhoria da descompressão:
 
A direção do Hospital declarou entender que os espaços não estão adequados e que podem melhorar. 
 
Por entender como demanda urgente pela sobrecarga a que os trabalhadores estão submetidos, o Sindsep pediu agilidade no andamento das adequações, para viabilizar melhores condições nas salas de descompressão como em outros hospitais municipais. 
 
Continuidade:
 
Foi pactuada com a diretora técnica, Josiane Motta e Motta, a realização de reuniões mensais da direção do Sindsep com a gestão do Hospital Saboya. 
 
O Sindsep declarou que incluirá nas próximas reuniões a participação de representantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) do Hospital. 
 
Plenária dos trabalhadores: 
 
O sindicato solicitou o auditório para discussão e eleição dos Representantes Sindicais da Unidade (RSUs). A direção do Hospital não autorizou, usando como argumento a alta dos casos de Covid-19. Porém, o Sindicato fará em breve nova solicitação à direção do Hospital, para reunir as trabalhadoras/es de modo adequado, para garantir o direito à liberdade de organização sindical, além da prestação de contas das discussões realizadas com a gestão sobre as demandas dos/as trabalhadores/as, a mobilização da campanha salarial do funcionalismo municipal pela recomposição das perdas da inflação, bem como os informes da luta pela implantação do Piso Salarial Nacional dos profissionais de Enfermagem.
 
O Sindsep irá cobrar o direito de reunião no local de trabalho. Trabalhadores/as do ambiente hospitalar conhecem as orientações e podem garantir as condições de segurança sanitária (máscaras e distanciamento) para o qual são treinados/as, portanto têm condições de se reunir para discutir em segurança os assuntos que são de seu interesse e direito de organização sindical.