Saúde

12 de Agosto de 2019 - 11:08

Sindsep participa da 16ª Conferência Nacional de Saúde, que foi marcada por atos em defesa do SUS

Dirigentes do Sindsep, participaram da 16ª Conferência Nacional de Saúde, que aconteceu entre os dias 4 e 7 de agosto, em Brasília, que este ano teve como tema Democracia e saúde: saúde como direito, consolidação e financiamento do SUS.  

 

A Conferência foi construída com um longo percurso, com a realização de cerca de três mil etapas municipais, 27 etapas estaduais e distritais, 62 conferências livres, como também outros eventos preparatórios. Todo esse processo foi realizado com muitas dificuldades, pois muitos prefeitos, governadores e governo federal não facilitaram em nada a realização desse importante evento.

 

Mas apesar de tudo a Conferência foi realizada. Isso se deu pela garra, determinação e do compromisso das lideranças dos movimentos de saúde, principalmente dos segmentos dos usuários e trabalhadores, que tinham muita clareza da importância deste evento, principalmente nesta conjuntura de ataque aos direitos dos trabalhadores, desmonte do sistema de seguridade social, onde o SUS é parte do tripé que compõe esse sistema.

 

Na abertura oficial do evento, o governo pode sentir a resistência da maioria dos cinco mil delegados, que receberam o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com uma grande vaia. Já no segundo dia de conferência, aconteceu uma grande manifestação, organizada pelos sindicatos e Centrais sindical, movimentos sociais, e contou também com vários parlamentares comprometidos com a defesa do SUS.

 

O Sindsep junto com delegados de diferentes segmentos e localidade, chegaram ao entendimento de que a Conferência teve um resultado positivo. Pois a maioria dos delegados tinham consciência da conjuntura política e econômica, e que o SUS está sobre ataque.

 

As dificuldades para a realização da 16ª Conferência Nacional de Saúde, não foram por acaso, elas tinham como propósito o esvaziamento do evento.  Essa percepção acabou contaminando a conferência, gerando unidade e foco, além de fortalecer a resistência em defesa do SUS. O que garantiu que as principais propostas de defesa, fortalecimento do sistema público de saúde, concurso público, entre outras propostas importantes, fossem aprovadas.

 

Foram aprovadas 56 moções que marcaram o posicionamento do evento em relação a diversos temas ligados à saúde. Entre eles, a garantia de direitos, medicamentos, assistências integrais, financiamento adequado e fortalecimento do SUS. As moções buscam tornar o SUS mais forte e reiteram a garantia dos direitos constitucionais.

 

Porém é importante ressaltar que estas propostas só serão implementadas se os segmentos dos trabalhadores e usuários estiverem unidos e organizados juntos aos movimentos sindicais e sociais para mobilizar a população e trabalhadores em defesa do SUS, com assistência a saúde e com qualidade, que só será possível com investimentos, concurso público e condições adequadas de trabalho.

SAÚDE: DIREITO DE TODOS E DEVER DO ESTADO