Saúde

23 de Janeiro de 2018 - 13:01

Sindsep se posiciona em relação ao descaso do governo com a saúde da população na situação atual da epidemia de febre amarela

O Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias do Município de São Paulo (Sindsep), vem manifestar a sua indignação com os governos municipal, estadual e federal, referente ao seu descaso com a saúde da população, principalmente na cidade de São Paulo, que tem colocado a população em situação de pânico e desespero e como consequência a exposição dos trabalhadores das UBS a todo tipo de violência.

Os trabalhadores organizados pelo Sindsep estiveram presentes em várias mesas de negociação, tanto específicas, como da saúde e do Conselho Municipal de Saúde, para tratar sobre o combate do mosquito da Dengue, Zika, Chikungunya e da Febre Amarela. Nos encontros os trabalhadores alertaram o governo sobre o risco de uma epidemia de febre amarela, já que alguns focos já se manifestavam na grande São Paulo. Os trabalhadores foram ignorados pelo governo e que inclusive ironizou as preocupações apresentadas.

Em um desses encontros o governo trouxe uma técnica do SUCEN (Superintendência de Controle de Endemias), que falou que não havia risco, pois, o mosquito não voava mais que 500 metros. O que não se comprovou.  

Outra questão a ser destacada, são as péssimas condições de trabalho dos agentes de endemias na cidade de São Paulo. Falta transporte para as equipes que pulveriza o veneno, o número de trabalhadores é insuficiente para a demanda, como tantos outros problemas.

O resultado do descaso do governo com o trabalho da vigilância que controla a infestação de mosquitos e o risco de doenças, estamos vendo. Aumentou o número de casos de febre amarela na cidade, não havia registro da forma urbana desde 1942, o que demostra o retrocesso que estamos vivendo nas políticas públicas, inclusive na saúde.

A população está em pânico, as UBS não têm o número de vacinas necessárias para cobrir as necessidades e anseios da população, que aumentam pelo bombardeio da grande imprensa, que gera mais ansiedade e tumulto. Os trabalhadores é quem sofre de maneira direta essa situação, com ocupações de UBS, ameaças e agressões físicas de alguns usuários.

O Sindsep reconhece o direito da população, como também o sentimento de pânico e revolta da população. Mas chamamos a atenção para o fato de que os trabalhadores não são culpados pelo descaso do governo e conclamamos para juntos pressionarmos o prefeito e o governador do estado, para que assegurem um programa de vacinação adequada para toda a população, começando pelas áreas de risco, até a cobertura total. Exigir do prefeito João Doria e do secretário de Saúde, que convoquem uma coletiva de imprensa para explicar para a população a real situação e o planejamento de enfrentamento a epidemia da febre amarela.

Aos trabalhadores das UBS que se sentem ou sentiram-se prejudicados, saibam que o Sindsep está do seu lado. Podem ligar na Secretaria Geral do Sindicato, pelo telefone 2129-2999 e juntos vamos enfrentar esse problema.