Saúde

15 de Agosto de 2019 - 17:08

Sindsep, técnicos de farmácia e farmacêuticos realizam ato contra o desmonte das farmácias municipais

O Sindsep em conjunto com o Sindicato dos Farmacêuticos, realizou um ato contra o desmonte das farmácias municipais em frente a Secretaria Municipal de Saúde, na tarde desta quinta-feira, 15 de agosto.  

 

O ato tinha como pauta a terceirização promovida pelo prefeito Bruno Covas na distribuição de medicamentos nos hospitais municipais, colocando a responsabilidade de que o remédio chegue aos pacientes sobre as costas de profissionais não habilitados.

 

Ainda o secretário de saúde, Edson Aparecido, está transformando as farmácias em dispensários, que nada mais é que uma farmácia sem farmacêutico e sem assistência farmacêutica, o que não permite dispensar medicamentos controlados como antidepressivos, antibióticos, remédios contra convulsão, dentre outros. Deixando UBS, AMA, CAPS e posto de saúde ficarão sem esses remédios.  

 

Lembrando que essa não é a primeira vez que o governo quer acabar com as farmácias municipais. Em 2017, o então prefeito João Doria tentou fechar cerca de 570 farmácias em unidades públicas de saúde, transferindo a responsabilidade de entrega de medicamentos para as grandes redes de farmácias privadas.

 

As entidades sindicais e os trabalhadores realizaram falas em frente a Secretaria, sobre o que veem ocorrendo com as farmácias públicas. Em seguida se organizaram para participar da reunião do Pleno do Conselho de Saúde.

 

O Conselho abriu para que dois representantes dos trabalhadores realizassem uma fala expondo a situação, para o presidente do Conselho regional de Farmácia e para o Sindsep e o Sindicato dos Farmacêuticos.

 

O Sindsep entregou ao final das falas o Termo de Referência para serviço de logística de materiais e medicamentos (ainda não publicado oficialmente), bem como pareceres sobre a transformação de farmácias municipais em dispensários de medicamentos (o que limita a oferta de medicamentos e gera riscos à população), para que o conselho encaminhe atue no esclarecimento sobre os ataques à assistência farmacêutica via Comissão de Políticas de Saúde e que tal assunto seja tratado no próximo pleno do Conselho, com a presença do secretário municipal de saúde, Edson Aparecido.