Saúde

07 de Fevereiro de 2020 - 20:02

Trabalhadores e usuários da UBS Chácara Santo Antonio rejeitam terceirização de unidade na zona Sul

A Frente Única contra o Sucateamento da Saúde Pública, que reúne representantes de movimentos de saúde, conselhos, entidades sindicais, como o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindsep-SP), mobilizados contra o processo de entrega das unidades de saúde na cidade de São Paulo para o controle das organizações sociais (OSS) participou, nesta sexta-feira (07), da reunião do Conselho Gestor da Unidade Básica de Saúde Chácara Santo Antonio, em Santo Amaro, zona Sul.

Reunião do Conselho Gestor da UBS, que reuniu trabalhadores e usuários do serviço. | Foto: Mandato Juliana Cardoso

 

De acordo com Antonio Carlos, secretário-geral do Sindsep, usuários e trabalhadores da UBS Chácara Santo Antonio rejeitam a transferência do serviço da administração direta para uma Organização Social de Saúde.

 

Satisfeita com o resultado da reunião, a secretária dos Trabalhadores da Saúde do Sindsep, Lourdes Estêvão, disse que o resultado é fruto da luta conjunta. “Foi muito importante, porque assim como em outras unidades de saúde, na UBS Chácara Santo Antonio, o Conselho Gestor decidiu que não quer a terceirização do serviço. Votou contrário à participação das organizações sociais na gestão da unidade. Essa postura dos conselhos das unidades de saúde têm deixado o governo Covas/Doria em situação bastante difícil”.

 

Trabalhadores e usuários deram abraço simbólico na unidade básica de saúde em Santo Amaro.| Foto: Antonio Carlos

 

Segundo a dirigente, é importante a participação de todos nos conselhos gestores dos serviços de saúde, para barrar as terceirizações que o governo quer nos impor. “Contamos com a participação de todos, pois não temos outra alternativa a não ser a luta conjunta de trabalhadores e usuários”, frisou Lourdes.

 

Ela aproveitou para convidar a todos para atividades neste sábado e na próxima semana. Neste sábado (8), a partir das 10h, haverá reunião da Frente contra o Sucateamento da Saúde Pública, na sede do Sindsep-SP.

 

Na terça-feira (11), a partir do meio-dia, uma audiência pública da Comissão de Administração Pública da Câmara Municipal irá discutir a extinção de várias autarquias municipais, incluindo a Autarquia Hospitalar Municipal (AHM), responsável por 11 hospitais municipais da cidade de São Paulo. A extinção das autarquias é proposta pelo Projeto de Lei 749/19.

 

Na quinta-feira (13), durante a reunião do Conselho Municipal de Saúde, na sala do colegiado, que fica no prédio da Secretaria Municipal de Saúde, a dirigente espera que servidores públicos que trabalham nos 11 hospitais municipais venham ao debate das ações que devem ser preparadas contra a retirada do auxílio-alimentação e auxílio-transporte no cumprimento de plantões-extras nos hospitais.

 

“A participação do maior número de servidores e servidoras da saúde nas atividades desse calendário de organização é extremamente importante. Não adianta o trabalhador, a trabalhadora, reclamar individualmente. Precisamos intensificar a nossa participação em todas as atividades que o Sindsep acionar.

Comunidade rejeita transferência da UBS para organização social de saúde.| Foto: Mandato Juliana Cardoso